Museu da Imprensa Oficial Eloy de Souza completa 17 anos no RN

 


O Museu da Imprensa Oficial Eloy de Souza completa, nesta sexta-feira (13), 17 anos de histórias e de inestimável valor cultural para o Rio Grande do Norte. Fundado em 13 de novembro de 2003, o espaço ostenta um importante legado de preservação dos 131 anos de criação da imprensa oficial no Estado, iniciada em 1º de julho de 1889.

A diretora do Museu, Rosana Macedo, conta que a história do Museu se mistura com a sua trajetória de vida. Funcionária do Diário Oficial do Estado (DOE) nos últimos 40 anos, assumiu o museu em 2004. Para ela, a importância do espaço é “o resgate da história, de tudo que também vivenciei no passado, é não deixar morrer o início de tudo, o ontem e o hoje. Contar a história desse lugar é contar a minha história”.

Os visitantes podem conhecer todo o maquinário original utilizado a época para a impressão das publicações: A República e o Diário Oficial do Estado. O primeiro marca o início das publicações oficiais do RN, durante a gestão do governador Pedro Velho de Albuquerque Maranhão. Já o DOE até hoje é a publicação que registra e divulga os atos oficiais do Governo, autarquias e de outros poderes e órgãos.

Entre as publicações conservadas pelo Museu Eloy de Souza, é possível conferir edições, por exemplo, do jornal A República do ano de 1943, com notícias sobre a Segunda Guerra Mundial. Todo o maquinário utilizado para montar, diagramar e imprimir as duas publicações oficiais do RN, também está exposto para visitação. Estão lá cavaletes, máquinas de corte, guilhotinas, máquinas de impressão manual, clichês, entre outros.

A história e a importância deste patrimônio imaterial histórico e cultural do RN também estão na rede social Facebook. No perfil é possível assistir a um vídeo, de quase 10 minutos, com outras informações e curiosidades sobre o museu. Para isso, basta clicar aqui.

Os interessados em conhecer todo o acervo do Museu da Imprensa Oficial Eloy de Souza devem agendar um horário, através do telefone 3232-6864.

Nenhum comentário