Líderes destacam quarta morte de agente de segurança em menos de 30 dias

 


Na sessão ordinária desta terça-feira (27), no horário destinado aos líderes parlamentares, foram levantados temas, como as mortes recentes de agentes de segurança pública no Estado; os gastos do governo estadual com publicidade nos veículos de comunicação; e ainda o avanço da vacinação contra a Covid-19 no Brasil, juntamente com preocupações em relação a efeitos colaterais.

Primeiro líder a discursar, o Subtenente Eliabe (SDD) externou sua solidariedade à família do policial civil Kléber Mota, morto durante assalto, em São José de Mipibu, no último domingo (25).

“Hoje eu venho aqui me solidarizar com os familiares e amigos do policial civil Kléber Mota. Ele era lotado na delegacia de plantão da zona Norte e foi assassinado no último domingo, vítima dessa escalada de violência que vem acometendo os profissionais de segurança do RN. Foram 19 anos dedicados à defesa da vida e do patrimônio da população potiguar. Com a morte de Kléber, já são quatro os agentes de segurança assassinados em menos de 30 dias no Estado”, lamentou.

Segundo o deputado, a situação é muito preocupante e requer atenção redobrada dos agentes de segurança. “Porém, o momento também obriga o Poder Público a tomar ações enérgicas e se somar na luta para vencer esse mal que tem tirado a paz e o sossego da população potiguar, que são as ações desses criminosos covardes”, acrescentou.

O parlamentar disse ainda que vem dialogando com o secretário de Segurança do Estado e com os comandantes das polícias Civil e Militar, além dos bombeiros, mas frisou ser “necessário que a governadora forneça as condições para que esses líderes combatam efetivamente esse tipo de crime”.

Finalizando, Eliabe ressaltou que a população quer ver as melhorias na vida real e não apenas nas propagandas do governo. “Nós sabemos que se o Governo do Estado colocar a Segurança como prioridade na sua agenda a situação será bem diferente. A omissão do Poder Público e a falta de condições adequadas de trabalho têm potencializado o perigo no dia a dia dos profissionais de segurança. Então, fica aqui o meu apelo e a minha cobrança, para que esse problema seja tratado com a prioridade e a importância que merece”, concluiu.

Na sequência, o deputado Nelter Queiroz (MDB) leu um requerimento que enviou ao governo estadual, solicitando informações acerca dos gastos do referido órgão com publicidade e propaganda.

“Meu pedido foi para que o governo preste informações sobre os gastos totais com publicidade em 2021, até a presente data; os gastos com publicidade através de agências contratadas; e os gastos publicitários com emissoras de televisão, rádio, blogs, operadoras de telefonia, redes sociais e quaisquer outros veículos de comunicação”, detalhou o parlamentar.

De acordo com Nelter, é importante a transparência do governo, a fim de que a população tenha a exata noção do quanto está sendo gasto com propagandas. “Nada contra a publicidade, mas eu tomei conhecimento, extraoficialmente, que o governo pagou, em fevereiro, mas de R$ 1 milhão à Inter TV Cabugi. Achei o valor muito alto. E parece que o total programado para ser gasto em 2021 será de quase R$ 24 milhões”, disse.

O parlamentar explicou que enviou o requerimento pedindo esses esclarecimentos após ver, há poucos dias, uma propaganda do governo, tanto em suas redes sociais quanto na Inter TV, a respeito de uma bandeira iniciada pelo seu mandato, que é o programa da primeira CNH gratuita. 

“O governo lançou e regulamentou essa lei de 2011 e está fazendo uma publicidade enorme. Mas indo para a realidade, neste ano de 2021 serão atendidas apenas 353 pessoas. E o gasto para isso será de R$ 70 mil por mês. Enquanto isso, o governo gastou, em fevereiro, R$ 1 milhão com a TV Globo local. Eu acho isso um absurdo”, criticou.

Em seguida, o parlamentar pediu que “a governadora reveja esses gastos exagerados com publicidade e se dedique a atender as pessoas mais simples. Na Paraíba, por exemplo, dentro desse programa da CNH gratuita, serão atendidas 5.300 pessoas, em 2021. E aqui no RN a governadora vai atender apenas 353 cidadãos”.

Por fim, o deputado Nelter fez um apelo para que o Governo do Estado suspenda os cortes de água para os mais humildes. “As pessoas estão sem emprego, por conta da pandemia. Eu estou recebendo muitos relatos de cidadãos desesperados com essa situação. Por isso, eu peço que o governo emita uma determinação à Caern para que evite fazer os cortes de água para esses Norte-rio-grandenses mais necessitados”, finalizou.  

Último a discursar no horário das lideranças, Albert Dickson (PROS) iniciou sua fala explicando novamente a situação da lei de sua autoria, aprovada semana passada, que versa sobre a atividade essencial das igrejas. “Nós acabamos de dar entrada no colegiado de líderes para que seja recolocado o texto original do projeto, trazendo as antigas restrições com relação a ventiladores, ar-condicionado, crianças, dentre outros itens”, explanou. 

Albert Dickson falou também sobre a evolução da vacinação no Brasil. “Nós estamos chegando, com relação à imunização, a 13,96% de aplicação da primeira dose. Isso significa que estamos alcançando o patamar de Manaus, na época em que a cidade começou a apresentar índices melhores. Só que para a Medicina é interessante a segunda dose, que ainda está em 6,2%. De toda forma, são números importantes, que começarão a diminuir os casos de Covid no nosso País”, destacou.

Em seguida, o deputado lembrou que Israel chegou a 42% de imunização com a segunda dose, gerando a liberação gradual do uso de máscaras. “Então nós começamos a enxergar uma luz no fim do túnel, diante da crescente imunização populacional, à qual eu sou extremamente favorável”, opinou.

Por fim, o parlamentar demonstrou preocupação com um efeito colateral causado pelas vacinas da AstraZeneca e da Johnson & Johnson, que vem ocorrendo na Europa e nos Estados Unidos. 

“O que está acontecendo em países que estão à frente do Brasil na imunização, mais comumente em pessoas entre 30 e 60 anos, é um problema chamado ‘trombose pós vacina’. E o que me preocupa é que nós já vamos começar a vacinar pessoas nessa faixa etária, e exatamente pelos grupos que possuem comorbidades, ou seja, hipertensão, diabetes, problemas cardíacos etc”, disse.

O deputado ressaltou que nós precisamos ficar atentos a essa possibilidade de trombose, já que a vacina da AstraZeneca está sendo aplicada no Brasil. “O problema geralmente ocorre nas primeiras duas semanas. Seria interessante, portanto, que, após tomarem a vacina, as pessoas fiquem em contato com as secretarias de saúde, para que possam relatar se sentirem dores abdominais ou dores de cabeça intensas, e sejam atendidas imediatamente”, alertou.

Nenhum comentário