Deputados homenageiam ex-parlamentares Alcimar Torquato e Francisco Miranda

 


Na sessão ordinária desta quinta-feira (12), o horário dos deputados foi marcado por homenagens pelos falecimentos dos ex-parlamentares Alcimar Torquato e Francisco Miranda, bem como por denúncias de crimes eleitorais e pedidos de voto consciente aos cidadãos nas eleições do próximo domingo (15).

Vivaldo Costa (PSD) iniciou sua fala prestando homenagens pelos falecimentos dos ex-deputados estaduais do RN, Alcimar Torquato e Francisco Miranda.

“Eu tive o privilégio de conviver com os dois. O perfil deles era o mesmo: humanos, conciliadores, pessoas honestas e de uma solidariedade imensa. Homens justos, íntegros, sempre com vontade de ajudar e muito amigos”, enalteceu.

Em seguida, Vivaldo contou um pouco da sua história com Alcimar Torquato. “Conheci Alcimar em 1975, quando nos elegemos deputados estaduais. Eu, médico, vindo do Seridó. Ele, também médico, vindo do Oeste. A gente se sentava sempre juntos e conversava nesta Assembleia Legislativa. Ele contando as histórias do Oeste e eu falando do meu Seridó. Tornamo-nos grandes amigos, a vida inteira, e pertencemos ao mesmo bloco no Legislativo. Fomos eleitos pela Arena Vermelha, dinartista e rosadista, e seguimos as orientações dos nossos líderes. Hoje, ele parte para o céu. E eu quero externar meu sentimento de luto a Neide, sua esposa, e aos seus filhos tão queridos”, disse.

O parlamentar falou ainda sobre o ex-deputado estadual Francisco Miranda. “Eu o conheci jovem ainda, através do seu pai, que era dinartista de Pendências. E ele sempre falava muito bem do seu filho, funcionário exemplar da Caixa Econômica Federal, na época”, relembrou.

Na sequência, José Dias (PSDB) também lamentou a morte dos ex-parlamentares e ressaltou que agora é preciso continuar a luta.

“Eu aproveito, então, esta última oportunidade antes da eleição para tecer umas palavras. Esta eleição é uma chance de repetirmos o gesto que o País fez, há dois anos, virando uma página triste da nossa história, que já durava mais de 14 anos. Temos que promover uma eleição em que aqueles que comungam com nossos sentimentos sejam os escolhidos. Não devemos vender o nosso futuro nem a nossa honra em troca de  vantagens de qualquer natureza. Esse é o apelo mais importante. Façam julgamento, façam exame de consciência”, aconselhou José Dias.

Próximo a falar no horário dos deputados, Getúlio Rêgo (DEM) também lamentou a perda dos dois colegas ex-parlamentares, Alcimar Torquato e Francisco Miranda.

“Venho também me solidarizar pelo falecimento de dois colegas que marcaram presença nesta Assembleia Legislativa. Deputado Alcimar Torquato, da Serra de São Miguel, grande amigo, figura humana extraordinária, que merece a nossa homenagem. Eternas saudades”, disse Getúlio, acrescentando que o “deputado Miranda também fará muita falta. Um homem cordial, amistoso e fraterno. Dedico aos familiares a nossa solidariedade e um pedido para que Deus o receba com suas bênçãos”.

Falando sobre o pleito que se aproxima, o parlamentar criticou mais uma suposta fraude eleitoral cometida no interior do Estado.

“Ontem o juiz eleitoral de Pau dos Ferros suspendeu mais uma pesquisa fraudulenta. É um ato que demonstra muito bem os artifícios utilizados por alguns políticos para tentar impactar a população e influenciar suas escolhas. A justiça eleitoral chegou desmoralizando esses institutos, que são verdadeiros feirões de pesquisa”, disse.

Ainda dentro da temática de crimes eleitorais, o deputado citou um acontecimento no município de Umarizal. “Hoje eu fiquei estupefato com uma notícia vinda de Umarizal. O que está acontecendo é que um carro da Secretaria de Saúde deste município vem transportando, de madrugada, eleitores da capital para irem votar em Umarizal. Esse foi um flagrante desrespeito à democracia. Espero que a justiça se pronuncie rapidamente, porque não há nenhuma dúvida sobre o fato”, concluiu.

Último inscrito no horário, Francisco do PT também transmitiu seu sentimento de pesar aos amigos e familiares dos ex-deputados Francisco Miranda e Alcimar Torquato. Em seguida, criticou o atual Governo Federal e pediu consciência a todos os cidadãos, nas eleições de 15 de novembro.

Francisco continuou seu discurso, falando agora sobre sua história na Política. “Eu sou do PT há 30 anos e procuro manter minha trajetória de coerência, enxergando a Política como instrumento de transformação na vida das pessoas, entendendo que os cargos eletivos são instrumentos para servir e não para ser servido. E eu tenho muita honra e orgulho de ter contribuído para eleger o presidente Lula e a presidenta Dilma, que foi vítima de um golpe para retirá-la do poder”, destacou.

O deputado disse também que “apesar de todo preconceito e ódio de alguns setores da sociedade, foram os governos do PT ao longo desses últimos 14 anos que proporcionaram o maior ciclo de geração de emprego e renda do País. Foi durante os governos do PT que o Brasil passou a ser respeitado nas relações internacionais, chegando a ocupar posição de destaque na economia mundial. E hoje nós somos objeto de chacota. Foram os governos do PT que proporcionaram a ampliação dos Institutos Federais de Educação Tecnológica. E o Rio Grande do Norte foi um dos grandes beneficiados disso, inclusive num belo trabalho da nossa atual governadora, Fátima Bezerra”, enfatizou Francisco.

O parlamentar lembrou ainda que “foram os governos do PT que criaram o ‘Bolsa Família’, o ‘Minha Casa, Minha vida’, que ninguém escuta falar mais, que incrementaram o ‘Milhão de Cisternas’ e o ‘Luz para Todos’. E foi no governo Lula que aprovamos o Fundeb, que é tão importante para a educação básica do País. Além disso, ainda teve o piso salarial do magistério. Foi preciso um presidente sem formação acadêmica, que muitos chamavam de analfabeto, para valorizar os professores deste País”, enalteceu o deputado.

Concluindo sua fala, ele disse ter muito receio quando se fala na “Nova Política”, tal como foi pregada pelo atual presidente Bolsonaro.

“Isso nunca passou de um engodo que deu resultados eleitorais em 2018, mas que está trazendo consequências muito negativas para o Brasil, como a negação da ciência, o tratamento inconcebível com relação à pandemia, além da intolerância, ódio e preconceito. Portanto, eu espero que nós possamos eleger com consciência os nossos representantes no dia 15 de novembro”, finalizou.

Nenhum comentário