Hermano Morais repercute ações do Governo Federal em relação ao Banco do Brasil

 


O deputado Hermano Morais (PSB) repercutiu, durante a sessão ordinária desta quarta-feira (10), as decisões do Governo Federal em relação ao Banco do Brasil, no que diz respeito ao fechamento de 361 agências, à demissão de 5.533 servidores e ao término do serviço de caixa.


“Hoje, eu vim aqui tratar da questão do Banco do Brasil. Um banco que é orgulho para o povo brasileiro, pelos serviços prestados ao longo de quase dois séculos, e que vem sendo vítima de uma situação que vai prejudicar um grupo acentuado de servidores, já que mais de 5 mil serão demitidos”, iniciou Hermano.


Além disso, o parlamentar criticou a redução do número de agências em todo o Brasil. “Isso é algo muito preocupante, objeto inclusive de protestos que acontecem hoje, em nível nacional. É uma decisão que vai prejudicar toda a sociedade. Mas essa situação não acontece por acaso, é uma ameaça que já acontece há algum tempo. Está muito claro: reduz-se a atividade do banco, prejudica-se a população, desgasta-se a imagem da instituição e, depois, ocorre a privatização”, denunciou.


Continuando, ele falou sobre o fechamento das 361 agências e o fim da função de caixa. “Os caixas são inerentes à atividade bancária. Apesar dos avanços tecnológicos, nós sabemos que grande parcela da população ainda recorre às agências físicas para buscar esse tipo de atendimento. Então, nós estamos aqui para protestar e chamar a atenção da população, porque isso tudo se faz contrariando os desejos do povo e prejudicando o desenvolvimento do País, certamente para favorecer os que querem se aproveitar da estrutura do Banco do Brasil e aumentar as enormes fortunas que já possuem”, censurou o deputado. 


Hermano disse ainda que já se fala sobre a Caixa Econômica Federal. “A Caixa Econômica também se encontra ameaçada. E isso não acontece por acaso. São interesses de ordem financeira, para atender grupos que só alimentam e fazem crescer os seus lucros exorbitantes, em desfavor da população. Portanto, fica aqui a nossa solidariedade aos colegas do Banco do Brasil e o nosso protesto contra a decisão tomada, que esperamos ser revertida, já que há ações na justiça nesse sentido. E esperamos também que haja movimentação do povo brasileiro contra esse tipo de medida que contraria seus interesses”, concluiu.

Nenhum comentário