Chegada da vacina traz otimismo para a economia, diz presidente da Fecomércio


 Marcelo Queiroz, presidente da Fecomércio - Foto: José Aldenir/Agora RN

Há mais de uma década à frente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Rio Grande do Norte (Fecomércio), Marcelo Queiroz conta em entrevista ao Agora RN como vem enfrentando a crise econômica gerada pela pandemia da Covid-19. O presidente da instituição afirma que os desafios para superar os danos causados pelo vírus em 2020 continuam neste ano, mas demonstra otimismo com a chegada da vacina. 

Nesta entrevista, Marcelo Queiroz também faz críticas ao Ministério Público, que abriu um inquérito para investigar possíveis irregularidades no Hotel Senac Barreira Roxa, e se posiciona favoravelmente à aprovação do Plano Diretor de Natal. 

O Sistema Fecomércio Rio Grande do Norte é composto pela Federação do Comércio de Bens Serviços e Turismo do Rio Grande do Norte, pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e pelo Serviço Social do Comércio (Sesc). No Brasil, o Sistema Fecomércio foi criado no ano de 1946, pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo. 

Agora RN – Qual o balanço que o senhor faz da atuação da Fecomércio ao longo de 2020? Marcelo Queiroz – Nós iniciamos com uma perspectiva muito boa, mas felizmente a partir do mês de março nós tivemos que rever tudo, fechar a loja, mudar tudo. A pandemia realmente mudou o país, mudou o mundo, mas a Fecomércio não parou. Ficamos à frente, negociando com o governo, com as prefeituras, com os trabalhadores e procurando fazer ações que viessem minimizar os efeitos da crise no dia a dia das empresas. A gente desenvolveu várias ações desde aquela suspensão de contrato, fazendo as parcerias com Ministério da Economia, sindicatos laborais e patronais. Montamos uma banca jurídica para atender os empresários tirando muitas dúvidas do que fazer, de como cumprir os decretos porque eram muitos, um atrás do outro e às vezes um da Prefeitura desfazia do decreto do governo e assim foi um ano de muita luta de muito trabalho. Foi mais um ano em que a Federação do Comércio mostrou a sua importância para ajudar o desenvolvimento do nosso estado. A Fecomércio procurou, dentro do possível, se aliar à Prefeitura do Natal e ao Governo do Rio Grande do Norte para conversar e chegar a um denominador comum. 

Agora RN – Como a pandemia influenciou o trabalho da Fecomércio? 

Marcelo Queiroz – Ela mudou tudo. Foram tomados todos os protocolos de segurança para conter a pandemia. No Hotel Senac Barreira Roxa tivemos que fechar, como os demais hotéis, mas nós cedemos para os médicos e profissionais de saúde. A Federação ficou vendo tudo o que acontecia, se reunindo sempre com sua diretoria, com seus membros para tomar decisões e orientar os empresários, procurando nesse período capacitar os empresários e trabalhadores. Nós tivemos nesse período cerca de oito mil matrículas feitas gratuitamente para os colaboradores do setor do comércio e serviços de turismo. Procuramos atuar orientando empresas que fecharam e passaram a vender online. Fizemos um trabalho de orientação para que as empresas pudessem vender mesmo com as portas fechadas.

 Agora RN – Qual a projeção para o comércio em 2021? 

Marcelo Queiroz – No ano passado, até novembro, que é o mês que nós temos os números fechados das vendas, nós tivemos uma uma queda nas vendas no ano de 4,95% em relação ao ano anterior. Nós tivemos o auxílio emergencial do governo federal, que contribuiu muito para as empresas manterem suas renas, as pessoas receberam esse dinheiro e foram para o comércio, com o dinheiro circulando no comércio. Agora a partir de janeiro não tem mais essa ajuda emergencial, então já estamos contando com uma queda nas vendas, que já se caracterizou pelas conversas e pelo que a gente sente com as empresas. 2021 vai ser um ano muito difícil, mas que a gente tem que continuar com nossas portas abertas, vendendo gerando emprego e renda, procurando a saída do dia a dia do mercado. 

Agora RN – Em maio passado, o Ministério Público abriu um inquérito para investigar possíveis irregularidades na obra de reforma do Hotel Senac Barreira Roxa, administrado pela Fecomércio. Para o MP, há suspeita de superfaturamento. Qual a posição da Fecomércio?

 Marcelo Queiroz – O Ministério Público, segundo nosso entendimento, não teria nem direito de fazer essa fiscalização, mas pediu a documentação. Mesmo achando que não tínhamos obrigação, nós entregamos todos os documentos e eles estão averiguando. Não temos nenhuma preocupação com isso porque temos muita tranquilidade. Temos uma equipe técnica muito capaz, eficiente, séria e de confiança. O Ministério Público está fazendo as averiguações e a gente está esperando que ele diga o que é que ele achou. 

Agora RN – Como as discussões sobre o Plano Diretor de Natal interferem na atuação da Fecomércio? A federação vem acompanhando esse assunto? 

Marcelo Queiroz – A Federação do Comércio apoia que o Plano Diretor de Natal seja renovado agora porque tem 13 anos do plano anterior e estamos sim torcendo para que o plano diretor seja votado, depois dessas discussões com os delegados e posteriormente na Câmara Municipal. Acho que deve sim ser renovado com as sugestões que estão sendo feitas porque o desenvolvimento da nossa cidade depende disso. O plano vai permitir que as empresas possam existir em determinados setores respeitando as normas existentes. 

Agora RN – Há otimismo no comércio com a chegada da vacina contra a Covid-19? 

Marcelo Queiroz – Com certeza. O pessoal está com medo de viajar, isso tem sido evitado, tanto que a maioria dos turistas que estão aqui vem de outros estados da região. Com a chegada da vacina as pessoas vão ter mais tranquilidade de viajar e os eventos vão voltar acontecer. Hoje não tem mais evento, convenção, não tem nada. As pessoas que viajavam no chamado turismo de negócios não estão mais viajando. Então a retomada depende dessa vacina, mas nós não temos nenhuma dúvida de que até o final do ano estaremos com o número suficiente que possa permitir abertura geral.

Nenhum comentário