Rainha do rádio potiguar, Glorinha Oliveira está internada vítima de enfisema pulmonar

 


A cantora Glorinha Oliveira, 95 anos, está internada desde quarta-feira (27) no hospital Rio Grande, em Natal (RN), vítima de enfisema pulmonar. A família vem se revezando na assistência à rainha do rádio potiguar.

O filho da cantora, Aécio Queiroz, negou que o problema de saúde tenha relação com a covid-19, como chegou a ser especulado nas redes sociais. Segundo ele, o quadro é difícil e algumas comorbidades se agravaram na pandemia. Mas segue acreditando numa recuperação:

– O enfisema pulmonar vem desde os tempos da rádio Poty, onde de cada 10 pessoas, 11 fumavam. E com essa pandemia ela ficou muito presa em casa, sem caminhar. A coisa foi se agravando e inflamou os pulmões”, disse.

Aécio diz que Glorinha está um pouco abatida, apresentou uma pequena melhor nos últimos dias e está no quarto, com restrições para receber visita:

– Está abatida, e estamos nos revezando com ela, desde quarta-feira. Houve uma pequena melhora, a fala melhorou. Já me reconheceu hoje, estamos pedindo a Deus para que dê tudo certo”, disse.

O Rouxinol potiguar

Maria da Glória Mendes de Oliveira nasceu no bairro das Rocas e foi protagonista da era de ouro da rádio Poty nos anos 1950 e 1960. Numa época em que programas de auditório faziam a alegria dos ouvintes da rádio, dividiu o palco com grandes nomes da música brasileira da época, entre eles Ademilde Fonseca, Cauby Peixoto, Ângela Maria, Carlos Galhardo, Moacyr Franco, Leni Andrade, Miltinho, Sílvio Caldas, Orlando Silva, Ataulfo Alves e outros grandes cantores da época.

Uma dos apelidos marcantes que Glorinha ganhou na época, em razão da bela voz, foi “rouxinol potiguar”.

Além de cantar, Glorinha fez rádio novela, programas de humor, foi locutoras e chegou a escrever roteiros para rádio novelas.

Nenhum comentário