Vacinação no RN começará no dia 20 de janeiro de 2021

 

A PRIMEIRA ETAPA DE VACINAÇÃO NO RIO GRANDE DO NORTE FOI DIVIDIDA EM TRÊS FASES. FOTO: ASSECOM

A primeira etapa do Plano de Operacionalização para a Vacinação Contra Covid-19 no Rio Grande do Norte pretende imunizar 730.381 potiguares a partir do dia 20 de janeiro. O Governo do Estado terá que investir R$ 8,2 milhões em Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para os profissionais de saúde, aquisição de seringas e outros equipamentos necessários para a aplicação dos imunizantes. A primeira vacina que chegará aos potiguares em 2021, no entanto, permanece desconhecida. O Plano foi divulgado pelo Governo do Estado nesta sexta-feira (18) e trabalha com as perspectivas que foram apresentadas pelo Governo Federal para a divulgação do calendário do Plano Nacional de Imunização.

A primeira etapa de vacinação no Rio Grande do Norte foi dividida em três fases. A primeira terá como alvo os trabalhadores da saúde, pessoas com 75 anos ou mais, pessoas com 60 anos ou mais que estejam internadas em instituições de longa permanência, população indígena e povos e comunidades tradicionais ribeirinhas. Na segunda fase, serão imunizadas as pessoas entre 60 e 74 anos de idade. Por último, na terceira fase, estão as pessoas que possuem comorbidades (diabetes mellitus; hipertensão; doença pulmonar obstrutiva crônica; doença renal; doenças cardiovasculares e cerebrovasculares; indivíduos transplantados de órgão sólido; anemia falciforme; câncer e obesidade grave).

Esses, no entanto, não representam todos os grupos prioritários que foram elencados pelo Governo no plano. Além desses, também foi feito um levantamento considerando professores (do Ensino Básico ao Superior), pessoas privadas de liberdade (incluindo adolescentes e jovens sob medida socioeducativa), funcionários do sistema prisional e demais profissionais das forças de segurança e salvamento. No total, incluindo esses grupos que ficaram fora da primeira etapa, 803.914 pessoas encontram-se no conjunto prioritário do RN.

A subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), Alessandra Lucchesi, destacou que esses grupos previstos ainda são preliminares, e alterações podem ser feitas a depender das indicações ou contra indicações após a aprovação da vacina pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). “Há ainda outros grupos populacionais que consideramos prioritários mas que estão tendo seus índices populacionais atualizados e, por isso, não entraram ainda nessa lista”, disse Lucchesi.

Ela destacou, ainda, que a intenção é de que a vacina seja ofertada à toda a população que esteja dentro do perfil de indicação da Anvisa, e que o calendário será atualizado de maneira escalonada, considerando primeiramente a manutenção de serviços essenciais, até que a meta de 95% de imunização da população seja cumprida.

Estado depende da Anvisa e União para realizar plano de vacinação

Apesar de apresentar uma data estipulada para o início da vacinação, o calendário do Plano elaborado pelo Governo do Estado está condicionado a dois fatores: a aprovação das vacinas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e a compra das doses pelo Governo Federal para inclusão no Programa Nacional de Imunização (PNI). 

Com informações da Tribuna do Norte/ Mariana Ceci

Nenhum comentário