Complexo da Rampa: governadora apresenta prédio histórico a cônsul francês

Diplomata ficou impressionado com a beleza do local, que tem larga história relacionada à aviação francesa

Com a conclusão prevista para o final deste ano, a governadora Fátima Bezerra levou o cônsul francês para o Nordeste, Hugues Fantou, que está no Rio Grande do Norte em visita diplomática, para conhecer o Complexo Cultural da Rampa na tarde desta quinta-feira. A visita foi guiada pelo autor e responsável técnico do projeto de restauro e construção, arquiteto Carlos Ribeiro Dantas, servidor da Secretaria de Estado do Turismo (Setur).

“Sabemos o quanto este local é importante como elemento de união entre as nossas culturas, de modo que só posso reforçar o quanto fico feliz com a possibilidade de fazermos parcerias que seguramente vão alavancar o turismo histórico e cultural”, disse a governadora, em atenção ao diplomata que assumiu recentemente o consulado francês em Recife (PE).

O cônsul, que visitou a chefe do Executivo na manhã desta quinta, ficou impressionado pela magnitude do Complexo da Rampa e reforçou empenho para formalizar parceria com o Estado. O local tem conexão com a história da aviação francesa, em especial os correios aéreos do início do século XX.

“Estou muito impressionado com este prédio. Por ser um lugar perto do rio e pelo simbolismo de ter sido um lugar de encontro de três continentes, África, Europa e América do Sul, que promoveu intercâmbio com os povos por ter abrigado a empresa aérea de correios e por ter acolhido os primeiros passageiros intercontinentais. Durante a Segunda Guerra, foi um lugar de liberdade contra o nazismo e agora vai virar espaço de integração entre passado e presente”, descreveu Fantou, que também elogiou a arquitetura da construção, integrando elementos antigos e modernos e recriando o formato de um hidroavião.

O arquiteto Carlos Ribeiro Dantas explicou que a França teve atuação importante no RN, quando na década de 1920 operou o correio aéreo internacional através da empresa Aéropostale. Conhecido mais pela sua ligação histórica com a Segunda Guerra, o local da Rampa também foi o ponto de chegada da primeira travessia aérea do oceano Atlântico, sem escala, pelo piloto francês Jean Mermoz.

“Eu gostaria de fazer um pedido especial. De que vocês nos ajudem a colocar nesse pátio um avião ou uma réplica do modelo usado por Mermoz, para que possamos recontar essa história com mais riqueza de detalhes”, solicitou Dantas. O cônsul citou que na cidade francesa de Toulose há um museu da aviação, onde vai procurar informações de como poderá ajudar nesse pleito.

A visita da governadora com o cônsul francês ao Complexo da Rampa contou coma presença do vice-governador Antenor Roberto, da cônsul honorária Caroline Martins, que atua agência francesa em Natal, e da assessora de imprensa do consulado Maud Laurent.

Nenhum comentário