Governo do RN precisa pagar auxílio a trabalhadores prejudicados com decreto, defende vereador


O vereador de Natal Aldo Clemente (PDT) saiu em defesa do pagamento de um auxílio financeiro por parte do Governo do Rio Grande do Norte aos trabalhadores que forem prejudicados com o decreto estadual que amplia as restrições e permite apenas o funcionamento das atividades essenciais em território potiguar. Para o parlamentar, o Executivo estadual precisa garantir a estas pessoas o mínimo de condições econômicas para alimentar suas famílias.

"É fundamental neste momento a preocupação com a vida das pessoas, com a saúde. Para isso, temos sim que manter o distanciamento social. Mas, para tomar uma decisão como esta do Governo, de impedir o funcionamento das atividades comerciais, é importante também garantir a estes cidadãos que eles terão como comprar o pão de cada dia", disse Aldo Clemente.

Medida nesse sentido foi adotada pelo Governo do Ceará, que anunciou o pagamento de R$ 1 mil para os trabalhadores do setor de bares e restaurantes - valor que será parcelado em dois meses. Além disso, o Executivo cearense implementou uma série de ações com o objetivo de socorrer o setor produtivo, como o parcelamento e isenção de impostos, isenção no pagamento de água e luz, entre outros.

Aldo aproveitou ainda para solicitar ao Governo do Estado a inclusão das academias e das óticas entre os serviços considerados essenciais. O vereador acredita que a governadora Fátima Bezerra (PT) corrigirá esta "falha" no decreto. "São dois serviços fundamentais para a população. A prática esportiva já está comprovado que contribui para o aumento da imunidade, é importante manter o exercício físico. E as óticas comercializam um produto fundamental para o cidadão que precisa de óculos, além de servirem como uma barreira física de proteção até mesmo ao coronavírus", disse.

Nenhum comentário