Anvisa autoriza estudo clínico com 3ª dose da AstraZeneca

 


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, nesta segunda-feira (19), um estudo clínico que pretende avaliar a segurança, eficácia e imunogenicidade de uma terceira dose da vacina da AstraZeneca. A pesquisa será feita com 10 mil participantes do estudo inicial que já receberam as duas doses do imunizante, com intervalo de quatro semanas entre as aplicações.

A terceira dose da vacina da AstraZeneca será aplicada entre 11 e 13 meses após a segunda dose. Os voluntários participantes serão pessoas entre 18 e 55 anos, que estejam altamente expostos à infecção do coronavírus, como profissionais da Saúde. Não serão incluídas gestantes ou pessoas com comorbidades.

O estudo será controlado, randomizado e simples-cego, ou seja, o voluntário não saberá se tomou uma dose da vacina ou placebo. A pesquisa será feita só no Brasil e contará com 1,5 mil voluntários da Bahia, 1,5 mil do Rio de Janeiro, 3 mil do Rio Grande do Sul, 1,5 mil do Rio Grande do Norte e 2,5 mil de São Paulo.

NOVA VERSÃO DA ASTRAZENECA
Na semana passada, a Anvisa já havia autorizado o teste clínico de uma nova versão da vacina da AstraZeneca. A vacina AZD2816, uma versão modificada do imunizante, vai usar a mesma tecnologia da anterior (vetor viral). A nova vacina foi modificada para também fornecer imunidade contra a variante Beta – contra a qual a primeira versão deu apenas proteção limitada.

A pesquisa será feita na Bahia, no Distrito Federal, no Paraná, no Rio Grande do Norte, no Rio Grande do Sul e em São Paulo. Serão 800 voluntários. Deste estudo, poderão participar pessoas já vacinadas e também as que ainda não receberam uma vacina contra a Covid-19.

Nenhum comentário