“Amor ou solidão” reafirma a excelência musical de Terezinha de Jesus

 


Em tristes tempos de pandemia, onde o amor tenta superar a solidão causada pelo distanciamento social, a cantora potiguar Terezinha de Jesus, nascida no município de Florânia, lança mais um videoclipe cantando sentimentos inerentes ao ser humano. “Amor ou solidão” tem letra do ícone da tropicália, o baiano José Carlos Capinan, e música do potiguar de Areia Branca, Mirabô Dantas. A cineasta Suerda Morais assina o roteiro, com Jacques Júnior, além da direção e produção executiva. Já os arranjos e a direção musical estão a cargo do maestro Franklyn Nogvaes. 

Aos 70 anos, completados neste três de julho, Terezinha de Jesus busca se reinventar no formato audiovisual com sua refinada voz agreste. Ano passado, lançou o clipe “Carne dos rios”, e neste 2021 segue a mesma trilha.  “A gente está sempre se reinventando. E agora mais madura, o trabalho tem muito mais prazer. Eu já vivi tanto a profissão, que o amor à música e ao canto vai ficando cada vez maior”, observa a artista.

A respeito de “Amor e solidão”, a dama do canto potiguar declara que faz tempo que recebeu a música de Mirabô, mas só agora surgiu a oportunidade de gravá-la. “Faz anos que Capinan e Mirabô compuseram a música. Agora, Mirabô veio aqui em casa, ouviu a música gravada e gostou bastante”, assinala. E complementa: “Tenho vontade de voltar a gravar um disco.  Já tenho um novo repertório. O momento está muito bom para mim e para a música”.

Viabilizado pelo edital de Fomento à Cultura Potiguar 2020, da Fundação José Augusto (FJA), via Lei Aldir Blanc, o videoclipe “Amor ou solidão” será lançado amanhã (03.07) na TV Tribuna (http://www.tribunadonorte.com.br/videos) e no canal da cantora no YouTube, às 8 horas. Protagonizam a obra os atores cantores Dudu Galvão e Silvia Sol.

O Museu do Ferreiro Torto, em Macaíba, e a fazenda Olho d’Água, em São José de Mipibu, foram os cenários do videoclipe, que apresenta versos de um amor idealizado e cumprido. Será mesmo? “E antes que o céu se apague/ Ela apaga na própria carne/ O cigarro que fumou/ E no furor do seu gesto/ Resplandece uma menina/ Vinda do interior/ Dentro dela, uma fogueira/ Onde arde o seu amor/ Saudade de um cavaleiro/ Um moço lindo estrangeiro/ Não lhe seduz seu dinheiro/ Só os rogos da paixão”.  

Integraram a equipe de “Amor ou solidão” Alex Régis (direção de fotografia), Anderson Régis (assistente de fotografia e still), Irapuan Júnior (direção de arte), Nilson Eloy (foley) e Ana Macedo (maquiagem), afora a já citada Suerda Morais, responsável pela montagem e finalização. A gravação e mixagem foram realizadas no estúdio Olho de Hórus e contou com a participação do violonista Rafael Gonzaga.  O videoclipe recebeu apoio logístico das Prefeituras de Macaíba e de São José de Mipibu, por meio das respectivas secretarias de Cultura.

Nenhum comentário