Deputados comentam panorama político e social no plano nacional e estadual

 


No horário destinado aos líderes parlamentares, na sessão ordinária que aconteceu nesta terça-feira (04), na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, pronunciaram-se os deputados José Dias (PSDB) e Hermano Morais (PSB). José Dias falou sobre a atuação do presidente da República, Jair Bolsonaro, e as pessoas que se beneficiam com a pandemia, já Hermano Morais destacou o aumento dos empregos no Rio Grande do Norte pelo terceiro mês consecutivo.

O deputado José Dias afirmou que não é bolsonarista. “Não sou irresponsável, não sou filiado ao partido, mas não concordo com a linguagem do presidente, não uso os termos e as expressões que ele usa, mas acho que ele está deixando um legado que nenhum presidente teve a coragem. As reformas que nós estamos tendo são fundamentais para este país, um divisor da nossa história”, opinou.

Aproveitando o gancho, o parlamentar decidiu comentar sobre as pessoas que se beneficiam da pandemia, especialmente na classe política, o que considera uma grande preocupação e tristeza. “O que mais me escandaliza é que no pleno século XXI, existem muitos que se beneficiaram terrivelmente desse País de forma que a gente não pode nem imaginar. Estamos falando no campo político e isso é realmente um crime contra todos nós. Mas esse povo sabe que a desgraça os beneficia. Estou preocupado com a desonestidade que voltou no nosso País. Eu acredito na ação do Ministério Público e do Tribunal de Contas aqui no RN para investigar os desmandos e os desvios”, falou.

O deputado Hermano Morais, por sua vez, focou o discurso dele nos dados recentes apresentados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED). “O CAGED é um balizador da empregabilidade no Brasil, que vive momentos difíceis do ponto de vista econômico e social, atingindo a classe trabalhadora. Nós temos muitos desempregados no País. Mas um dado interessante que precisamos registrar, é que o RN, pelo terceiro mês seguido apresenta alta na geração de emprego”, informou.

“Isso é animador em meio a tanta coisa negativa. O setor de serviço puxou essa alta. Devemos atribuir isso à disposição e coragem dos empreendedores, micro e pequenos empresários, principalmente, mas também, as médias e poucas grandes empresas que nós temos aqui. Mas, claro, também temos que reconhecer os esforços dos governos municipal, estadual e federal, para auxiliar a essas empresas a se manterem vivas. Por exemplo, aqui no estado, houve um esforço muito grande para pagar os servidores, fazendo a economia girar”, disse.

Ele também destacou uma matéria aprovada recentemente pelo Congresso Nacional e que foi sancionada, que cria um programa de apoio ao setor de turismo e entretenimento. “No caso do Rio Grande do Norte, essa matéria é importantíssima. Dependemos muito do turismo e sabemos como o setor tem sofrido. Inclusive, esperamos que no próximo decreto estadual haja uma flexibilização maior. Claro, mantendo as medias necessárias de segurança, mas mantendo as pessoas com condições de sobrevivência”, completou.

Nenhum comentário