Ministério confirma a compra de mais 54 milhões de doses da CoronaVac

 


O Ministério da Saúde confirmou nesta 6ª feira (29.jan.2021) a opção de compra de mais 54 milhões de doses da CoronaVac, vacina produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac.

“Estamos solicitando o cronograma à Fundação Butantan para podermos celebrar o contrato já na semana que vem. E também solicitando a antecipação do registro junto à Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária] para iniciarmos a vacinação em massa da população brasileira”, disse o secretário-executivo da Saúde, Élcio Franco.

No contrato assinado junto ao Butantan, o ministério teria direito a 100 milhões de doses do imunizante. O lote inicial de 46 milhões foi adquirido em 7 de janeiro. Nesta 6ª feira (29.jan), a Saúde assegurou a 2ª remessa de 54 milhões de doses.

O ministério teria até maio para comunicar a opção de compra, mas nos últimos dias, o Instituto Butantan oficiou o ministério solicitando que o posicionamento fosse dado logo de modo a permitir um melhor planejamento da fabricação de imunizantes pelo órgão.

COBRANÇA DE SÃO PAULO

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, afirmou na 5ª feira (28.jan.2021) que poderia negociar diretamente com Estados e municípios a venda de doses da CoronaVac já que o governo de Jair Bolsonaro ainda não tinha solicitado formalmente as 54 milhões de doses.

Covas negou que o Butantan estivesse pressionando o governo Bolsonaro.

“Nós estamos no final de janeiro. Essa produção estaria prevista para abril. Portanto, não haverá tempo para negociarmos com a nossa parceira sobre matéria-prima se não houver essa manifestação”, afirmou o diretor antes do aceno do ministério.

A determinação do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), é de fornecer as doses “prioritariamente aos Estados e Municípios do Brasil”. Foi o que afirmou o tucano em seu perfil no Twitter. Ele acrescentou que há pressa em vacinar os brasileiros.

(Com informações da Agência Brasil).

Nenhum comentário