TRE caça mandato de prefeita e vice-prefeita de Mamanguape (PB), após compra de voto com cachaça

 

MARIA EUNICE E BABY HELENITA TAMBÉM FORAM DECLARADAS INELEGÍVEIS PELO PRAZO DE OITO ANOS E FORAM MULTADAS. FOTO: DIVULGAÇÃO

O Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) cassou, em decisão proferida nesta quinta-feira (17), os mandatos da prefeita e vice-prefeita de Mamanguape, Maria Eunice do Nascimento Pessoa (PSB) e Baby Helenita Veloso Silva (PRTB), respectivamente. O motivo foi abuso de poder econômico e a compra de votos, com oferecimento de supostos empregos, combustível, dinheiro e até cachaça, durante a campanha eleitoral para as eleições municipais de 2016.

Maria Eunice e Baby Helenita também foram declaradas inelegíveis pelo prazo de oito anos e foram multadas.

Elas tiveram o mandato cassado ainda em 2017, em primeiro grau. Contudo, da decisão cabia recurso e ambas permaneceram no cargo. A decisão desta quinta-feira (17) confirma a cassação, porém dela ainda cabe recurso junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O caso veio à tona graças a uma gravação vazada que denuncia a filha da prefeita, a então promotora de justiça do Ministério Público da Paraíba (MPPB), Ismânia Pessoa, negociando com os vereadores de oposição votos para a chapa de sua mãe.

De acordo com a investigação, Ismânia realizou um encontro na casa da então candidata a vice-prefeita. Na oportunidade, ela ofereceu dinheiro, cargos e benefícios, incluindo cachaça, para que os vereadores da oposição resolvessem aderir à candidatura de sua mãe.

Polêmica Paraíba

Nenhum comentário