Família faz campanha para comprar medicação de paciente com leucemia no RN

 

PACIENTE ESTÁ COM TRATAMENTO PAUSADO HÁ 45 DIAS, POR FALTA DE MEDICAMENTO QUE CUSTA R$ 13 MIL AO MÊS. FOTO: CEDIDA

A família de um paciente de leucemia no Rio Grande do Norte começou uma campanha nas redes sociais para comprar o medicamento para o tratamento do homem, porque o remédio, que custa R$ 13 mil por mês está sem estoque há três meses na rede pública do estado.

Elenilson Azevedo, de 42 anos, tem leucemia mieloide crônica, um tipo de câncer raro nas células do sangue. Segundo a família, a Unidade Central de Agentes Terapêuticos (Unicat) não fornece a medicação necessária para o tratamento da doença. Os familiares entraram com uma ação judicial para o fornecimento do remédio, mas estão há 45 dias sem resposta.

O G1 procurou a Unicat, mas até a publicação desta matéria não recebeu retorno sobre o assunto.

“Em agosto faltou essa medicação. No dia 17 daquele mês eu entrei com um pedido judicial pela Defensoria Pública da União. Aí saiu a decisão e deram 20 dias para o reabastecimento. Nesse período, chegou uma caixa para ele. Deu para 28 dias e faltou novamente. Agora, já tem 45 dias que ele está sem tomar o remédio. Juntando tudo, de agosto para cá, já são mais de três meses”, relata a cunhada de Elenilson, Geralda Câmara.

De acordo com os familiares, o paciente precisa fazer o uso contínuo de uma medicação chamada Nilotenib, que, mensalmente, custa R$ 13 mil. Com a pausa no tratamento, a doença está voltando a evoluir no corpo de Elenilson. Cansada de esperar, a família criou uma campanha para arrecadar fundos e comprar o remédio.

“Nós resolvemos fazer uma campanha para ver se conseguimos pelo menos o valor de uma caixa, que custa R$ 13 mil. Ela é vendida em São Paulo. A gente ainda tem que fazer o pedido para eles fabricarem, o que demora de 8 a 10 dias”, diz Geralda Câmara.

Enquanto isso, a família continua aguardando a decisão da Justiça para que a medicação seja disponibilizada gratuitamente.

“A gente continua pedindo agilidade ao sistema, mas está sendo muito lento. Não sei o que está acontecendo. Já enviei laudo médico, a declaração da Unicat confirmando que está faltando a medicação, mas está demorando muito”, diz a cunhada.

Os interessados em ajudar podem entrar em contato com Elenilson pelo telefone (84) 98628-3152.

G1RN

Nenhum comentário