Mulher é presa após estuprar e afogar filha de 5 meses



Uma mulher de 21 anos foi presa por estuprar e afogar a própria filha, uma bebê de cinco meses, em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Ela admitiu o crime após levar a menina, já sem vida, a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), na noite de terça-feira (22). Um médico plantonista notou que a criança tinha sinais de estupro e acionou a polícia.

De acordo com o G1, a mulher deu entrada na UPA com a filha e outras duas amigas. Uma delas relatou à Polícia Civil que a suspeita apareceu em sua casa com a bebê no carrinho. No entanto, ela estranhou o fato de a criança não reagir e logo notou que havia algo errado. Ela, então, levou mãe e filha para um posto de saúde próximo.

– Esta pessoa achou estranho a criança estar quieta por tanto tempo e notou o óbito, levando as duas para o Upa Leblon. Ela [a bebê] deu entrada por volta das 22h (de MS), mas, o óbito [dela] aconteceu bem antes, conforme [disseram] os médicos que [a] atenderam. Agora, a bebê vai passar por exame necroscópico – disse ao G1 a delegada Fernanda Piovano, responsável pelo caso.

Já na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), a mãe da criança, que tem outros dois filhos, apresentou duas versões. Na primeira, ela afirmou ter matado sozinha a filha em um cano de água no banheiro. O objetivo, segundo ela, era “tirar um chip da besta”. Na versão seguinte, ela confessou apenas o homicídio e alegou não ter conhecimento sobre a origem das lesões nas partes íntimas da filha.

A mulher foi presa em flagrante por homicídio doloso (quando há intenção de matar) e por estupro de vulnerável.

A criança ainda não tinha sido registrada e também não tinha tomado as vacinas previstas para sua idade.

PLENO NEWS


Nenhum comentário