Agência da Caixa na Grande Natal volta a registrar filas por causa do Auxílio Emergencial

Foto: Quézia Oliveira/Inter TV Cabugi


Uma longa fila se formou na manhã desta segunda-feira (3) na agência da Caixa Econômica Federal localizada na Avenida Tomaz Landim, em São Gonçalo do Amarante, na Grande Natal. A maioria das pessoas procurava resolver problemas relacionados ao Auxílio Emergencial.

Muitos beneficiários relataram que já foram à agência em outras oportunidades e não conseguiram uma solução. "Eu tirei as duas parcelas do auxílio, mas eu troquei de celular e disseram que o aplicativo Caixa Tem bloqueou por causa da troca. Aí eu tentei abrir pelo outro aparelho, mas não teve jeito. Vim aqui na Caixa umas quatro vezes e não resolvi. Vim hoje (segunda-feira) pra ver se consigo tirar a segunda parcela. Eu estou precisando muito", disse Nair Estevão, que está desempregada.

Há casos de pessoas que ainda não conseguiram sacar a primeira parcela do benefício, como a dona de casa Célia Miranda. "Ainda não consegui tirar a primeira parcela do auxílio porque eles falam que teve uma modificação de acordo com a data de nascimento e por isso estão empurrando com a barriga e não resolvem. Já fui em várias agências, dizem que vão resolver e não resolvem", comentou.
Uma longa fila se formou na manhã desta segunda-feira (3) na agência da Caixa Econômica Federal localizada na Avenida Tomaz Landim, em São Gonçalo do Amarante, na Grande Natal. A maioria das pessoas procurava resolver problemas relacionados ao Auxílio Emergencial.

Muitos beneficiários relataram que já foram à agência em outras oportunidades e não conseguiram uma solução. "Eu tirei as duas parcelas do auxílio, mas eu troquei de celular e disseram que o aplicativo Caixa Tem bloqueou por causa da troca. Aí eu tentei abrir pelo outro aparelho, mas não teve jeito. Vim aqui na Caixa umas quatro vezes e não resolvi. Vim hoje (segunda-feira) pra ver se consigo tirar a segunda parcela. Eu estou precisando muito", disse Nair Estevão, que está desempregada.

Há casos de pessoas que ainda não conseguiram sacar a primeira parcela do benefício, como a dona de casa Célia Miranda. "Ainda não consegui tirar a primeira parcela do auxílio porque eles falam que teve uma modificação de acordo com a data de nascimento e por isso estão empurrando com a barriga e não resolvem. Já fui em várias agências, dizem que vão resolver e não resolvem", comentou.

Nenhum comentário