Brasileiro trabalha 153 dias para pagar impostos; 29 deles vão para corrupção



Segundo estudo do IBPT, salário dos trabalhadores só começa a ser destinado para benefício próprio a partir desta primeira semana de junho
O brasileiro trabalha mais de cinco meses do ano para pagar impostos. De acordo com um estudo do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), somente a partir desta segunda-feira (3), passados 153 dias do início do ano, a população começa a utilizar seus salários em benefício próprio.

O relatório explica que, ao longo dos anos, não apenas o peso dos impostos sobre o trabalho cresceu, como também o tempo necessário paga conseguir pagá-los também estão aumentando progressivamente. Em 1986, por exemplo, eram necessários 82 dias de trabalho para a quitação de impostos, número que alcançou os 153 dias em 2017.
"Se em 2003 o brasileiro destinou cerca de 36% de seu salário para pagar tributos, hoje ultrapassa os 41%", ressalta a advogada tributarista e vice-presidente do IBPT, Letícia Mary Fernandes do Amaral. ?
Segundo Amaral, esses 153 dias necessários para ficar em dia com todos os tributos impostos pelo governo são reforçados pela corrupção.  Ou seja: desse tempo total, 29 dias servem para bancar perdas por desvio ou mal uso de verbas.
Dinamarqueses trabalham ainda mais tempo para pagar impostos
Apesar da alta carga tributária no Brasil, há países em que a população trabalha ainda mais tempo para pagar todos os impotos necessários, como a Dinamarga, em que são precisos 176 dias de trabalho.
A diferença, de acordo com a advogada do IBPT, é que lá as pessoas recebem serviços em troca da alta contribuição.  "Muitos países têm números semelhantes e até maiores, a diferença está na distribuição do investimento público, na devolução desse valor pago em serviços à sociedade brasileira, o que faz com que além de pagar esses tributos também tenhamos que pagar dobrado, uma vez que precisamos de educação, moradia, transporte e segurança", explica.
"Temos o mesmo sistema público que a Dinamarca, serviço público de saúde, educação gratuita, entre outras, a grande diferença é o investimento e o cuidado que o governo dinamarquês tem com seus nacionais", completa.

Segundo ela, a relação trabalho e impostos é bem vista nos Estados Unidos, onde é considerada equilibrada. Por lá, a população local trabalhou 105 dias em 2019 para
Fonte: economia.ig - 06/06/2019

Nenhum comentário