LANÇAMENTO DO LIVRO MEMÓRIAS DA RESISTÊNCIA DO MILITANTE POLÍTICO PAULO PONTES



Nessa quarta-feira, 28 de novembro, a partir das 18h, no Bardallos Comida e Arte, Rua Gonçalves Ledo, 761, Cidade Alta, Natal, RN, PAULO PONTES, economista, professor universitário, pernambucano e ex-preso político na Bahia, estará lançando o seu livroMemórias da Resistência Na Ditadura e Depois - Recife, Natal, Salvador. Em 19 capítulos e 411 páginas, com farta iconografia e documentos de época, a narrativa parte de 1964 e se estende aos dias atuais.
Nascido em 1945 no município de São Caetano, no agreste de Pernambuco, sendo o pai um pequeno comerciante, Paulo vem com a família para o Recife, envolve-se e se destaca no movimento estudantil nas fileiras do PCB, como aluno do Colégio Estadual de Pernambuco e integrante do Clube Literário Monteiro Lobato. Preso, libertado por habeas-corpus e condenado a seis meses de prisão em 1968, recusa-se a cumprir a pena e entra na clandestinidade, deslocando-se para Natal, já então nas fileiras do PCBR, fruto de uma dissidência do PCB.

Fugindo da repressão política, chega à Bahia, atuando na organização partidária e na frente armada, tendo participado do assalto à agência do Banco do Brasil no bairro de Liberdade, em 1970. No mesmo ano e preso na rua com Theodomiro Romeiro dos Santos, rio-grandense-do-norte e também militante do PCBR. Por ocasião da prisão é morto um sargento da aeronáutica, gerando-se o primeiro processo no Brasil com enquadramento na pena de morte, segundo a Lei de Segurança Nacional imposta depois do Ato institucional Nº 5. Theodomiro é inicialmente condenado à morte e Paulo à prisão perpétua, além de mais cinco outros processos em Pernambuco e no Rio Grande do Norte.
O relato trata das lutas do movimento estudantil em 1968, da guerrilha urbana, das torturas, dos nove anos de prisão na Penitenciária Lemos de Brito, da estrutura do Coletivo de presos políticos, das reivindicações, das greves de fome, do assassinato sob tortura da sua esposa, Lourdes Wanderlei. E envolve o esforço para a reorganização da vida profissional e pessoal, com o exame vestibular, o início do curso de economia, o segundo casamento e a paternidade, ainda na condição de preso político. Também são abordados aspectos da sobrevivência carcerária dos presos comuns.

Libertado no processo de abertura política, Paulo Pontes integra-se à luta pela anistia e à construção do Partido dos Trabalhadores. Nos governos de Jaques Wagner e Rui Costa, ocupa cargos de direção junto à Secretaria de Educação. Sempre atuando nas campanhas eleitorais e nos debates internos do PT, com a marca da crítica contundente ao afastamento das ideias fundadoras, defendendo a coerência programática, a democracia interna e a intransigência ética.
Aposentando-se como professor aos 67 anos, em 2012, Paulo Pontes desliga-se da sua função na Secretaria de Educação da Bahia em 2016 para tratar de um câncer. Em 2017 começa a escrever suas memórias.

DESTAQUES
- Lançamento do livro Memórias da Resistência na Ditadura e Depois – Recife|Natal|Salvador, de Paulo Pontes.
- Nessa quarta-feira, 28 de novembro, a partir das 18h, no Bardallos Comida e Arte, Rua Gonçalves Ledo, 761, Cidade Alta, Natal, RN
- Custo: R$ 40,00

Nenhum comentário