Padre é condenado a 33 anos de prisão por estupro de vulnerável


O padre Marcos Roberto Ferreira, 37 anos, foi condenado a 33 anos, dois meses e seis dias de prisão, em regime fechado, pelo crime de estupro de vulnerável. Os casos foram registrados em maio do ano passado, em Santa Catarina, quando o sacerdote levou cinco crianças e adolescentes para um retiro na cidade de Joinville.
O caso julgado diz respeito a abusos cometidos contra dois menores, de 12 e 13 anos. Um deles é afilhado do réu. A defesa do padre nega as acusações e diz que ele vai recorrer da decisão de primeira instância.
A Diocese de Joinville se manifestou por meio de nota e informou que Marcos está afastado de suas atividades desde que as denúncias foram conhecidas, em junho do ano passado. O processo corre em sigilo para preservar as vítimas. O padre também recebeu sentença de dois anos e quatro meses de prisão em regime semiaberto por ter dado bebida alcoólica para crianças e adolescentes.
Marcos está preso desde junho de 2017 em São Francisco do Sul, após a Polícia Civil de Santa Catarina descobrir a existência de pelo menos cinco casos de abusos cometidos na cidade e em Joinville.

REVISTA VEJA

Nenhum comentário