Gás de cozinha compromete orçamento familiar


Uma pesquisa Datafolha revelou que 67% dos brasileiros consideram que o gás de cozinha compromete muito o orçamento familiar.
Além disso, 86% dos entrevistados avaliam que o preço do gás aumentou muito nos últimos seis meses. Houve uma disparada de 67,8% no preço de venda do produto pelas refinarias desde o início de junho. Já nas revendas, o preço do botijão de gás aumentou 15%.
A Petrobras anunciou nesta quinta-feira, 7, uma revisão da metodologia de reajuste dos preços do gás de cozinha, buscando “suavizar” o efeito das oscilações de preço do mercado internacional.
Ainda segundo a pesquisa Datafolha, a percepção do aumento do preço do botijão é maior entre as famílias brasileiras mais pobres. Oitenta por cento dos que têm renda de até dois salários mínimos, isto é, R$ 1.874, afirmam que o orçamento é altamente comprometido pelo preço do gás. Já entre os brasileiros mais ricos, o percentual diminui para 33%.
De acordo com a Petrobras, o objetivo da revisão da política de reajuste de gás é “buscar uma metodologia que suaviza os impactos derivados da transferência dessa volatilidade para os preços domésticos”.
A nova fórmula que será adotada pela Petrobras ainda não foi definida. Em comunicado, a estatal ressaltou que “buscará não perpetuar os efeitos sazonais já ocorridos”, o que sinaliza uma possível redução do preço.

Nenhum comentário