Colesterol alto na infância alerta pais quanto à alimentação


colesterol alto pode aparecer nos primeiros anos de vida. Com a estimativa de que 7,3% das crianças menores de cinco anos estão acima do peso, a doença tem sido cada vez mais comum devido ao aumento da obesidade.

O relatório conjunto da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e a Organização Pan-americana de Saúde (Opas), foi divulgado no primeiro semestre do corrido ano com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS).

‘‘Os vilões da alimentação dessas crianças são uma das principais causas do colesterol alto. São biscoitos, bolachas, bolos, refrigerantes, sucos artificiais e produtos industrializados que predominam em uma alimentação baseada em excesso de gorduras”, explica Rosianny Cristina, nutricionista do Hapvida Saúde.

Ainda de acordo com os dados do relatório no ano de 2025, 11,3 milhões de crianças no país estarão com excesso de peso. A curva desse crescimento pode ser revertida com a prevenção na fase de transição nutricional.

‘‘O ideal é inserir mais frutas, por exemplo, nas lancheiras escolares. A prática de esporte também é bastante importante para o crescimento saudável. Além do acompanhamento com um profissional nutricionista’’, avalia.


O diagnóstico precoce é também um dos melhores métodos para combater os problemas de colesterol na infância. ‘‘Existe uma mudança no planejamento alimentar ao longo do desenvolvimento da criança. É preciso atenção caso haja alguma anormalidade e cuidados com os hábitos alimentares’’, enfatiza.

Nenhum comentário