Cuidados e Manutenção de Árvores na Cidade


Tendo entre as suas atribuições a de proceder, dentro das normas técnicas, à análise, ao licenciamento, à fiscalização e aos serviços de poda e abate de árvores, a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur) executa regularmente o serviço de poda e abate de árvores.

O serviço de abate é executado, majoritariamente, por demanda da população, ou seja, a Semsur recebe do contribuinte a informação acerca da necessidade de remover árvores em logradouros públicos. “A população deve ajudar a Prefeitura a cumprir sua obrigação de cuidar da cobertura vegetal da Cidade”, ressalta o secretário-adjunto de Operações da Semsur, Márcio Guedes. “No dia a dia as pessoas observam as árvores e identificando problemas devem nos comunicar para que nós possamos toma as providências necessárias”, garante.

De acordo com o Departamento de Manejo Arbóreo da Semsur, setor responsável pelo serviço, os principais motivos que justificam o diagnóstico positivo para abate são a inadequação da árvore ao espaço onde está plantada. “Devido as árvores serem de grande porte, as raízes danificam as calçadas, o calçamento, chegando inclusive a rachar paredes das casas”, informa o zootecnista Ricardo Moreira, que é servidor do setor. A preservação da fiação elétrica, dos semáforos e das fachadas dos prédios da ação dos galhos também podem ser apontados como motivos para a remoção, além do estado fitossanitário dos vegetais comprometido por doenças causadoras da morte das árvores e podas irregulares executadas sem autorização da Semsur.

De janeiro a junho deste ano, 237 solicitações para abate de árvores deram origem a processos, os quais geraram o abate de 54 árvores. No mesmo período foram executadas podas em 4.312 árvores localizadas nas várias regiões de Natal.

Considerado um acidente natural, a queda acidental de uma árvore é um evento imprevisível e tem fatores variados como agentes causadores. A inadequação da árvore ao espaço tem sido o mais recorrente em Natal, que possui um acervo vegetal composto por árvores exóticas e nativas. “O ideal é que as árvores sejam nativas”, garante Moreira, que possui Pós-Gradução em Gestão Ambiental. Os transtornos causados por plantas geralmente só são observados pela população depois que a árvore já está adulta e nem sempre as pessoas relacionam os problemas que elas enfrentam ao fato de terem escolhido a árvore errada. Algaroba, Espinheiro, Castanhola e Algodão são exemplos de plantas exóticas e que são muito utilizadas em Natal. O algodão, por exemplo, tem sido causador de grandes problemas, pois suas raízes entopem instalações sanitárias com muita rapidez. São exemplos de plantas nativas o Ipê, a Aroeira e o Pau-brasil.

Atualmente a Prefeitura de Natal, através da Semurb está realizando o inventário florístico da cidade e já estão concluídas três avenidas. Quando houver a conclusão do trabalho, há um projeto de plantação de 20 mil espécimes vegetais, oriundos do Parque da Cidade.

Com base na lei 6058/2010, que regulamenta, no Artigo 13, que nas ocasiões de emergências, em que haja risco iminente para a população ou o patrimônio, tanto público como privado somente é permitida a realização de corte ou poda de árvores, em logradouros públicos  por soldados do Corpo de Bombeiros. Sendo assim, aquela corporação também deve acionada pela população nos casos de quedas de árvores.

Para solicitar o abate, as pessoas devem se encaminhar à Semsur, na Rua Princesa Isabel, 313, Ribeira, no Departamento de Manejo Arbóreo ou pelo telefone 3232 9845.

Nenhum comentário