Sob a liderança da Fecomércio RN, setor de eventos é liberado e começa retomada a partir desta sexta-feira, 25


Taxa de ocupação dos espaços será paulatina e seguirá plano elaborado pela entidade, em conjunto com empreendedores dos segmentos envolvidos 

  

Após articulação entre representantes do setor de eventos, liderados pelo presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RN (Fecomércio RN), Marcelo Queiroz, e do Governo do Estado, foi selado o entendimento para os primeiros passos da retomada deste segmento econômico, um dos mais importantes da cadeia turística e que vem sofrendo há meses com uma crise sem precedentes. As regras constam em decreto publicado hoje, 23, no Diário Oficial do Estado. No documento, as atuais medidas relativas ao funcionamento do setor produtivo foram prorrogadas, com ajustes no toque de recolher, que passa a valer das 23h às 5h. 

 

Na prática, será seguido o Plano de Retomada, elaborado no mês de abril pelas áreas técnicas da Fecomércio e do Senac RN e cujo detalhamento contou com a colaboração de vários empreendedores dos setores envolvidos. O resultado foi um documento que mereceu elogios do Comitê Científico do Estado e dos técnicos da Secretaria de Saúde (Sesap). 

 

O Plano contempla toda a cadeia de eventos, casas de recepção, buffets, teatros e afins e sugere a liberação paulatina, tomando por base percentuais crescentes da capacidade total de cada estabelecimento ou espaço onde irá ser realizado o evento ou atração.  

 

O presidente da Fecomércio, Marcelo Queiroz, destacou o trabalho em conjunto com os empreendedores e a relevância deste passo para a economia potiguar. “Nós sempre pontuamos a grande importância que o setor de serviços e o de turismo têm para o contexto econômico do nosso estado. E acompanhamos de muito perto o drama vivido pelas empresas de eventos que, além de estarem paradas há meses, sequer conseguiam vislumbrar um cenário de retomada que lhe permitisse um mínimo de planejamento. Por isso, partimos para produzir este plano e tomar a frente da negociação com o Governo do Estado. Neste esforço, tivemos a participação crucial de vários empreendedores do setor de eventos, gente que vive o dia a dia, que sente as dores da crise. Foi com este espírito de união e com muito bom senso, equilíbrio e, acima de tudo, um diálogo respeitoso, que conseguimos avançar e chegar a este momento de hoje”, diz Queiroz. 

 

Ele também destaca um outro avanço importante nas negociações para a retomada, que diz respeito aos parâmetros de avaliação do cenário da Covid19, que servirão de balizamento para referendar ou não cada evolução das taxas de ocupação dos espaços. “Ao invés da taxa de ocupação de leitos de UTI, será usado o Indicador Composto, publicado semanalmente pela Sesap e que monitora a situação da doença, considerando diversos parâmetros, município por município, classificando-os em cores que vão do verde (melhor situação) ao vermelho (pior situação), passando por amarelo e laranja. Com isso, haverá uma setorização permitindo, por exemplo, que um município com melhores números possa avançar e outro onde haja algum retrocesso espere um pouco mais’, diz ele. 

 

Entenda como a retomada irá evoluir 

A primeira etapa terá início na sexta-feira, 25, e estipula o percentual de 20% da capacidade dos estabelecimentos, considerando eventos corporativos, técnicos, científicos e convenções, bem como cinemas, museus, teatros, circos, parques de diversões e afins. Este percentual vai evoluindo a cada 15 dias, na seguinte sequência: 20%, 40%, 60%, 80% e 100%.  

 

Haverá ainda uma limitação a 150 pessoas na fase 1, 300 na fase 2, 450 na fase 3 e 600 na fase 4. A partir daí, acabam as limitações e será possível utilizar 100% da capacidade dos espaços. Desta forma, o estado alcançará a plenitude do funcionamento destes segmentos em 20 de agosto. 

 

A única exceção neste momento será para os eventos de massa, sociais, recreativos e similares, que terão o início da flexibilização em 23 de julho, com 20% da capacidade dos espaços ou 150 pessoas (o que for menor). A partir daí o segmento segue a mesma evolução, sempre a cada 15 dias. Outro detalhe importante é que, dentro da adoção do “Indicador Composto”, os eventos estarão liberados para os municípios que estiverem na faixa verde, com exceção dos corporativos, que também poderão ser realizados em municípios que estejam na faixa amarela. 

 

Os primeiros passos da retomada devem ser particularmente importantes para dois grandes eventos que estão programados para ocorrer em Natal no mês de setembro, ambos com impactos profundos e diretos no nosso turismo: a Meia Maratona do Sol e o Congresso Brasileiro de Oftalmologia. Juntos, estes dois eventos devem movimentar cerca de R$ 18 milhões. 


Nenhum comentário