Procon quer esclarecimentos após gasolina superar os R$ 6 reais em Natal

 


Após constatar o aumento repentino do preço dos combustíveis em Natal, sem que a petrobras tivesse anunciado novo reajuste nas refinarias, o Instituto de Defesa do Consumidor (Procon Natal) pedirá aos proprietários de postos esclarecimentos de como se deu tal aumento. O levantamento foi concluído nessa quinta-feira (27). O Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo (Sindipostos RN) reforçou que não se posiciona sobre aumento dos preços. O preço da gasolina aditivada na zona Sul da capital superou a cifra dos R$ 6, o que gerou irritação entre motoristas.

De Norte a Sul da cidade, os consumidores se surpreenderam com a mudança nas bombas porque não houve qualquer anúncio da Petrobras sobre reajustes nas refinarias, fato que sempre antecede a troca de preços nos postos de combustíveis. O aumento alcançou não apenas a gasolina comum, que chega a R$ 5,999 nas bombas, mas também outros combustíveis como o etanol (R$ 5,599) e o diesel (R$ 5,199)

O Procon Natal verificou os preços e não identificou as razões para a alta. “O Procon foi a campo na quarta-feira e pesquisou nos postos que houve realmente um aumento no preço dos combustíveis, mas nada que o justifique. Agora, deverá chamar os postos para que apresentem as razões para reajustar sem aumento da Petrobras”, explicou Alessandro Márcio, do Núcleo de Pesquisa do Procon Natal. A medida, no entanto, caberá à diretoria do órgão, que, se identificar irregularidades nos preços praticados poderá autuar os donos dos empreendimentos.

O Sindipostos/RN informou, mais uma vez, que não se pronuncia sobre aumento de preços, mas pontuou que cerca de um terço do valor da gasolina se deve ao etanol, que sofreu uma alta em todo o país.

Nenhum comentário