Ex-governador Robinson Faria confirma que vai tentar disputar eleição de 2022

 

FOTO: DIVULGAÇÃO

O ex-governador Robinson Faria confirmou na segunda-feira (24), em evento do Ministério das Comunicações, comandado pelo filho, Fábio Faria, que, “resolvendo a questão jurídica” na Justiça Eleitoral, “será candidato a deputado federal” nas eleições de 2022. O ex-chefe do Executivo estadual disse que vai até o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em Brasilia para restaurar sua elegebilidade, diante da decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) que o tornou inelegível por oito anos por abuso de poder econômico e político nas eleições de 2018. Robinson Faria entende a decisão como “um equívoco”.

“Pegaram atos da minha governança, atos do dia-a-dia de um governador antes da eleição, e levaram para julgamentos como se fossem crimes eleitorais, é surreal o que aconteceu”, disse Robinson.

Afirmando que confia na reforma da decisão em Brasília, Robinson ressaltou que o julgamento do mérito foi de quatro votos a três pela sua inelegibilidade e, por isso, acredita ter chances de disputar a eleição.

“Não andei aliciando ninguém, foram atos de governança e nem para o segundo turno eu fui, existe um preceito no direito eleitoral, que é a potencialidade, qual foi a potencialidade?, Se tivessem sido tão importantes esses atos, eu teria ido pelo menos para o segundo turno?”, questionou, argumentando ainda que “irá até o final”, porque tem “consciência está tranqüila”.

A disputa para a Câmara dos Deputados já vinha sendo tratada nos bastidores da política, mas a intenção não havia sido confirmada publicamente por Robinson Faria. Atualmente, Fábio Faria é deputado licenciado e é cotado para disputar o Senado ou até mesmo o cargo de vice-presidente, em chapa com o atual presidente Jair Bolsonaro. No mesmo evento, inclusive, Fábio Faria disse que não haverá disputa entre ele e Rogério Marinho por vaga no Senado. “Quem apostar em alguma coisa entre mim e Rogério Marinho, aposte em resultado, em entendimento”, afirmou Fábio Faria. “Não há outra palavra pra isso”.

Tribuna do Norte

Nenhum comentário