Em reunião com Iphan, General Girão discute demandas relacionadas à Barragem de Oiticica e ao Forte dos Reis Magos


Em reunião realizada na tarde desta quinta-feira (27) com o Ministro do Turismo, Gilson Machado, e com a presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Larissa Peixoto, o deputado federal General Girão tratou sobre pendências relacionadas à obra da Barragem de Oiticica. O Forte dos Reis Magos e o Museu da Rampa também foram discutidos no encontro.

Sobre as demandas reprimidas de Oiticica, o parlamentar federal solicitou ao Iphan que seja esclarecida a responsabilidade acerca dos atrasos relativos aos sítios arqueológicos identificados na área a ser alagada com a construção da barragem. "Fomos informados de que o Iphan já fez tudo que era de sua responsabilidade e que agora a obra está a cargo do Governo do Estado, que é quem tem os recursos para a contratação de equipe especializada para a retirada dos sítios arqueológicos e por levá-los para onde serão realocados. Nossa preocupação com as demandas pendentes da Barragem de Oiticica é de podermos receber e armazenar o quanto antes as águas do Rio São Francisco, bem como de preservar os sítios arqueológicos que existam, porque eles representam nossa história de um passado ainda desconhecido. Claro que, sempre respeitando os direitos das famílias que habitam o local a ser alagado com a conclusão da barragem. A Vila Nova Barra de Santana está quase pronta e as condições das moradias são de orgulhar a cada um de nós", explica o General Girão.

O deputado federal também aproveitou a ocasião para tratar sobre as obras de mais dois sítios históricos do Rio Grande do Norte localizados em Natal: o Forte dos Reis Magos e o Museu da Rampa. "O descaso da gestão estadual com esses dois equipamentos históricos importantes é enorme. E um povo forte como o potiguar não merece tamanho descaso com sua história. O Forte dos Reis Magos está fechado, de novo, desde 2018. Todo ano há promessa de ser reaberto, mas não passa de promessa mesmo. Nós estamos cobrando do Iphan a possibilidade do Forte ser inserido no Projeto Revive, criado pelo Ministério do Turismo com o Iphan e que visa valorizar os sítios históricos do Brasil. Se está sendo mal administrado, então que esta administração seja repassada. Tudo o que nós queremos é que o turista chegue ao RN e possa conhecer os belos sítios históricos que nós temos", pontuou Girão.

Quanto ao Museu da Rampa, esta é uma demanda do Patrimônio da União. "Nós vamos oficializar esta questão porque não é possível que tenha sido investido tanto dinheiro e que o equipamento continue fechado, inclusive sem nem termos a identificação de que tipo de exposição será colocada lá", concluiu o General Girão.

Nenhum comentário