Com 18 inquéritos no Supremo, Renan será relator da CPI da Covid

 


O senador Renan Calheiros (MDB-AL) será o relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as ações do governo federal na pandemia do novo coronavírus. Um acordo entre os partidos e parlamentares definiu ainda que o senador Omar Aziz (PSD-AM) ficará com a presidência do colegiado e que o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) será o vice-presidente. A informação, antecipada pela colunista Vera Magalhães, do jornal "O Globo", foi confirmada pelo senador Eduardo Braga (MDB-AM) à GloboNews.

A relatoria nas mãos de Renan Calheiros não é o que o governo queria. O emedebista, pai do governador de Alagoas, Renan Filho, é crítico do governo e tende a evitar o direcionamento dos trabalhos para a aplicação dos recursos federais nos Estados. Ele assumirá o posto com o apoio dos oposicionistas e dos senadores chamados "independentes" no colegiado.

Por outro lado, o governo ao menos não terá Randolfe Rodrigues, um dos autores do requerimento da CPI na Presidência. O parlamentar da Rede do Amapá, com quem o presidente Jair Bolsonaro chegou a dizer que "teria que sair na porrada", acabou sendo escolhido para a vice-presidência.

Embora ainda tenha que haver uma votação para a definição formal dos nomes, como os oposicionistas e os independentes possuem maioria absoluta no colegiado de 11 membros, a vontade definida no acordo entre eles será preservada. Formam o grupo que alinhavou o nome de Renan e Aziz nos cargos mais importantes, além dos dois, o de Eduardo Braga (MDB), Randolfe Rodrigues (Rede), Humberto Costa (PT) e Tasso Jereissati (PSDB).

INQUÉRITOS

Primeiro presidente do Senado a se tornar réu no exercício do mandato, quando exercia o cargo, Renan Calheiros (PMDB-AL) é alvo de 18 inquéritos no Supremo Tribunal Federal.

Entre os inquéritos, Renan é investigado por possível recebimento de propina, lavagem de dinheiro, corrupção passiva,organização criminosa, entre outros.

Fonte: Portal Grande Ponto

Nenhum comentário