Mitos e verdades sobre os animais de estimação que irão te surpreender

 Foto: Shutterstock

Já ouviu algo sobre os animais de estimação e ficou se perguntando se aquilo era um mito ou uma verdade? Pois essas dúvidas estão prestes a chegar ao fim! O consultor de operações da Maria Brasileira, rede de franquias que oferece serviços para pets, desvendou os principais mistérios que rodeiam as conversas sobre o comportamento dos bichinhos e revelou a realidade sobre eles. Confira!

Animais de estimação entendem o que o dono fala.

Verdade! Se você é daquelas que adora bater um bom papo com seu animal de estimação, pode ficar tranquila, pois eles estão entendendo a mensagem. O fato é que os pets compreendem quando estamos falando em tom mais alto e forte (durante as broncas, por exemplo) e quando demonstramos carinho e afeto através de uma voz meiga e tom baixo.


O cão abana o rabo apenas quando está feliz.

Mito! Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o sinal dos cachorros de abanar o rabo pode indicar o sentimento de medo ou estado de alerta. Além disso, claro, também aponta a felicidade e empolgação do animal.


Gatos aceitam carinho quando querem.

Verdade! Os pais e mães de gatos sabem bem: quando o animal não está disposto a receber carinho, sai de perto! O profissional explica que essa é uma característica iminente da personalidade desses animais. O jeito é se conformar…


Fêmeas devem ser castradas depois da primeira cria.

Mito! Quanto antes a fêmea for castrada, menores são as chances do desenvolvimento de doenças no sistema reprodutor, como o câncer de mama e infecções no útero. Outro fator a ser levado em consideração são os risco de gravidez psicológica, caso não ocorra a castração.


Comer grama faz mal.

Verdade! A ingestão de grama pelos animais é capaz de causar irritações no estômago, resultando em ânsia e vômito. Além disso, pode fazer com que o pet acabe pegando algum tipo de verminose – melhor evitar!


Mulheres grávidas não podem ter gatos em casa.

Mito! Essa lenda teve origem há muitos anos, quando as pessoas não queriam ter gatinhos em casa por medo de contraírem toxoplasmose, doença transmitida por um parasita encontrado nas fezes do animal. Entretanto, João garante que não há motivos para se preocupar: “A contaminação é muita rara de acontecer. Para ser infectada, a gestante precisa engolir fezes do gato doente”, tranquiliza.


Focinho quente é sinal de febre.

Mito! O especialista explica que não existe uma relação direta entre esses dois fatores e, por isso, o melhor é medir a temperatura do animalzinho através de um termômetro via retal.

Você já havia ouvido falar sobre esses mitos e verdades sobre os animais de estimação? Apostamos que algumas dessas informações surpreenderam até as “mães de pet” mais experientes. Já para quem pretende trazer um bichano ao lar, ficam as boas dicas. Aproveite!

MSN

Nenhum comentário