Ministério Público vai apurar casos de servidores que furaram fila da vacinação contra covid-19

 


O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) informou, nesta quarta-feira (20), que vai apurar todos os casos de pessoas que estejam "furando a fila" da campanha de vacinação contra a covid-19. Mais cedo, o Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Natal (Sinsenat) havia denunciado que, em Natal, havia trabalhadores da prefeitura sendo vacinados contra a covid-19 mesmo não se enquadrando no grupo prioritário para recebimento do imunizante nesta primeira fase, que começou nesta quarta-feira na capital potiguar. 

O órgão ressaltou que o Plano Estadual de Vacinação contempla, nesta primeira fase de imunização, apenas profissionais de saúde que estejam na linha de frente de combate ao coronavírus e idosos residentes em instituições de longa permanência. Alguns planos municipais autorizam a vacinação de outros grupos de pessoas, o que será observado de forma individualizada pelo MPRN. "Os casos de pessoas que receberam a vacinação mesmo sem se enquadrarem serão analisados individualmente para se investigar se houve o cometimento de crime ou ato de improbidade", disse o MPRN.

Natal recebeu apenas 12.235 doses de vacina, referentes ao 1º lote, e planejou destinar 11.778 doses a uma parcela dos profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate a covid-19 e 457 para os idosos que vivem em abrigos. Segundo o Sinsenat, a capital possui aproximadamente 35 mil profissionais da saúde atuando na linha de frente. 

Diante das denúncias, a assessoria de comunicação da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) se pronunciou e classificou como equivocada a aplicação da vacina em servidores que não estão no grupo prioritário. “No início da abertura do drive Arena das Dunas, algumas pessoas que estão trabalhando foram vacinadas. Esse equívoco já foi sanado, uma vez que, de acordo que o Ministério da Saúde, é para vacinar os envolvidos na ação, porém devido à pequena quantidade de doses recebidas, neste momento Natal não vai vacinar os envolvidos”, comunicou. 

O Ministério Público reforçou que disponibiliza o Disque Denúncia 127 para o recebimento de denúncias de crimes em geral. O cidadão pode ligar gratuitamente para o número. A identidade da fonte será preservada. Além do telefone, as denúncias também podem ser encaminhadas por Whatsapp para o número (84) 98863-4585 ou e-mail para disque.denuncia@mprn.mp.br. Os cidadãos podem encaminhar informações em geral que possam levar à prisão de criminosos, denunciar atos de corrupção e crimes de qualquer natureza. No Whatsapp, são aceitos textos, fotos, áudios e vídeos que possam comprovar as informações oferecidas.

Nenhum comentário