Microcrédito do Governo do RN tem maior volume de recursos financiados da história


A AGN TAMBÉM TEVE UM DESEMPENHO RELEVANTE COM 50,2% DOS MICROEMPREENDEDORES QUE BUSCARAM APOIO. FOTO: DIVULGAÇÃO

O Governo do Estado, por meio da Agência de Fomento do Rio Grande do Norte (AGN-RN), financiou em 2020 o maior volume de recursos da história do programa Microcrédito do Empreendedor Potiguar. Ao todo, R$ 28,4 milhões foram investidos para apoiar empreendedores formais e informais de todas as regiões do estado. A AGN é uma instituição financeira que tem o Governo do Estado como acionista majoritário.

O desempenho no ano passado supera em 35,2% o resultado obtido em 2019, até então o mais expressivo do programa, quando um total de R$ 18,4 milhões havia sido financiado junto aos microempreendedores potiguares. O número de operações em 2020 também é o mais alto da história com 6277 donos de negócios no estado beneficiados pelo crédito da instituição financeira contra 5947 alcançados em 2018.

A AGN também teve um desempenho relevante com 50,2% dos microempreendedores que buscaram apoio e tiveram o financiamento concedido contra 19% da média nacional, segundo levantamento realizado no primeiro semestre pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Ainda na atual gestão, a Agência intensificou a parceria com Sebrae, CDLs, Prefeituras e Associações pelo estado, além de passar a atuar ao lado da Fundação José Augusto, Semjidh, Sethas, Sedraf para ampliar o atendimento a empreendedores e negócios de setores como Cultura, Empreendedorismo Jovem, Economia Solidária e Agricultura Familiar. Na pandemia, a instituição ampliou carência, limites de financiamento, criou novas linhas e diversificou as ferramentas de atendimento ao empreendedor.

Para a diretora-presidente da Agência de Fomento do RN, Márcia Maia, os números obtidos pela instituição em 2020 são resultado do estímulo do Governo do Estado ao protagonismo dos empreendedores na economia potiguar e no papel do crédito no momento de necessidade para os proprietários de negócios no estado.

“Estive com a governadora Fátima em várias oportunidades e desde o primeiro momento, ela tem nos incentivado a buscar ferramentas e alternativas para garantir a democratização do acesso ao crédito, não apenas facilitando o acesso, mas diversificando os setores a serem atendidos. Esses números mostram não apenas a importância de um crédito simplificado, mas como a política pública de estímulo e apoio ao empreendedorismo pode ser importante para a economia e a qualidade de vida do cidadão norte-riograndense”, afirmou Márcia.

A presidente destaca ainda o papel social dos financiamentos, como uma ferramenta de redução das desigualdades sociais capaz de tornar o cidadão protagonista da sua própria história através do ato de empreender. “Sabemos que neste momento de pandemia, muitos empreenderam por necessidade, mas justamente nessa urgência, descobriram-se empreendedores e têm obtido sucesso. Outros conseguiram até mesmo ampliar seus negócios. Então o crédito mostra seu papel crucial ao estimular e apoiar não só a economia, mas também as pessoas a buscarem dias melhores”, concluiu.

Nenhum comentário