Paciente que aguardou três dias por leito de UTI para Covid-19 morre no RN

 


Uma paciente de 54 anos que aguardou por três dias uma vaga em um leito de UTI para Covid-19 morreu na manhã desta sexta-feira (4).

Governadora anuncia reabertura de 89 leitos para covid-19 e diz que RN vai reanalisar autorizações para eventos no fim de ano

Internada com Covid-19 desde domingo (29) no Hospital Municipal de Touros, no litoral Norte do RN, Josineide Silva dos Santos conseguiu ser transferida para um leito de UTI do Hospital João Machado, em Natal, na quinta-feira (4).

O pedido de transferência dela para uma UTI na capital potiguar, junto à Regulação da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap), havia sido feito na segunda (30).

A transferência seria feita de imediato para o Hospital de Macaíba, na região metropolitana de Natal, mas não foi possível.

Josineide tinha problemas renais e precisaria ser submetida a um tratamento com hemodiálise, segundo a Sesap. No Rio Grande do Norte, de acordo com a pasta, os hospitais Giselda Trigueiro (92% ocupado atualmente, segundo o Regula RN) e o João Machado (35%), ambos em Natal, são os únicos com capacidade para atender esses casos.


Outro problema que tem sido enfrentado é o transporte do paciente. Segundo a Secretaria de Saúde, quando a regulação indica o leito, a responsabilidade da transferência é a unidade solicitante.

Às 15h desta sexta-feira (4), o Regula RN apontava que quatro pacientes para leitos de UTI de Covid-19 ainda aguardavam transporte e outros três para leitos clínicos.

O estado se encontrava, nesta tarde, com 62% dos leitos de UTI destinados a pacientes com o coronavírus ocupados.

Reabertura de leitos

Nesta sexta-feira (4), a governadora Fátima Bezerra (PT) anunciou reabertura de 89 leitos para covid-19 e a reavaliação das autorizações para festas de fim se ano seguindo uma recomendação do Laboratório de Inovação de Tecnológica em Saúde (LAIS) da UFRN, que confirmou um aumento de casos no estado.

O relatório divulgado na terça (2) pelo Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (Lais) da UFRN considera que mesmo com aumento de casos da doença após as eleições municipais de 2020, a pandemia ainda está em uma situação de controle no estado.

Por outro lado, os pesquisadores recomendaram que governo e prefeituras reforcem as fiscalizações quanto às medidas de prevenção à doença e aumentem a disponibilidade de leitos de UTI, caso a ocupação ultrapasse os 60% por três dias consecutivos - percentual registrado nesta terça.


G1 RN

Nenhum comentário