Taxa de transmissibilidade do coronavírus volta a subir no RN


A média da taxa de transmissibilidade do coronavírus se eleva no Rio Grande do Norte e está localizada 1,08, quando o ideal para se manter o controle da epidemia é que esse indicador fique abaixo de um. Os dados indicam que esse indicador teve um aumento no Alto-Oeste (1,23), na Região Metropolitana (1,07) e no Seridó (1,05).
“Essa taxa de transmissibilidade, ela é um indicador preditivo, então ele possivelmente nos antecipa uma situação epidemiológica que pode vir a ser constatada através da constatada de novos casos”, ressaltou a subcoordenadora em vigilância epidemiológica da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sesap) , Alessandra Lucchesi em coletiva do governo nesta quinta-feira (3). 
Nas últimas 24 horas, ocorreram três mortes por covid-19 e o total sobe para 2.278 no estado. O número de casos confirmados foi elevado a 62.855 embora ainda haja 26.611 casos suspeitos. Um cenário ainda com casos e mortes. “Nesse momento a nossa confirmação ainda não é tão inferior quanto se desejaria para ser equivalente ao início da pandemia. Então ainda enfrentamos um período de casos de casos por dia que é expressivo ”, disse Alessandra. 
No entanto, segue em queda um taxa de ocupação dos leitos, hoje 41% dos leitos utilizados com 246 pacientes internados. Desse total, 97 estão em leitos definidos e 149 em leitos clínicos. 
Esse percentual de ocupação se diversifica entre as regiões de saúde do estado. Na Região Metropolitana se tem uma taxa de 39%, já em Santa Cruz é de 18%, enquanto em Mossoró é de 34,4%. No entanto, João Câmara explora 100% de ocupação e Pau dos Ferros com 70% são as regiões com os maiores percentuais de utilização. 
Alessandra falou dessa queda, mas ressaltou que é preciso atenção a outros indicadores e citou a taxa de transmissibilidade.

Nenhum comentário