Reforma da Previdência foi um dos temas debatidos no horário dos deputados na AL

 


Seis parlamentares se pronunciaram no horário destinado aos deputados, que encerra a sessão ordinária da Assembleia Legislativa, nesta terça-feira (22). Vivaldo Costa (PSDB), José Dias (PSDB), Coronel Azevedo (PSC), Sandro Pimentel (PSOL), Getúlio Rêgo (DEM) e Ubaldo Fernandes (PL). 

O deputado Vivaldo Costa iniciou os discursos destacando a ação do Dnocs no Seridó. “Quero agradecer ao ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, que atendeu à bancada do Seridó nesta Casa e autorizou o DNOCS a fazer a restauração da parede da barragem Passagem das Traíras”, disse Vivaldo, ressaltando a ajuda também de parlamentares da bancada federal. “A licitação já foi feita”, disse Vivaldo, confirmando que já foi publicada no Diário Oficial da União.

“É uma obra de muita importância e fundamental para a região do Seridó”, reforçou o deputado José Dias que comentou ainda o reinício das discussões sobre a Reforma da Previdência do Estado, tecendo críticas à posição do Governo do Estado. Críticas ao Governo também marcaram o discurso do Coronel Azevedo, que cobrou o pagamento de diárias operacionais aos policiais militares. “O Governo tem atrasado”, disse o parlamentar, afirmando que o Governo do Estado tem tratado a polícia com “viés ideológico”.

O deputado Sandro Pimentel criticou o Governo Bolsonaro por estar tratando a questão das queimadas do Pantanal de forma “debochada”. Ele lamentou a morte de milhares de animais e a destruição de mais de 2 milhões de hectares. “Bolsonaro vem colecionando recordes de destruição”, disse se referindo às queimadas do Pantanal e da Amazônia. “Chocam as imagens de onças com as patas desgastadas pelas brasas e sem conseguir andar”, disse o deputado.

A retomada das discussões da Reforma da Previdência também foi o tema do discurso de Getúlio Rêgo, que criticou a posição da governadora Fátima Bezerra (PT). “Fátima surgiu dos movimentos sindicais”, lembrou Getúlio, ressaltando que a reforma, que vem sendo discutida de forma remota na Assembleia, não tem tido a participação dos sindicatos. “Conseguimos trazer para o plenário representantes de categorias”, afirmou Getúlio, que ainda fez críticas à forma como o Estado vai pagar o piso salarial dos professores. “O piso de 2020 só vai terminar de ser pago em dezembro de 2021”.

Ubaldo Fernandes encerrou o horário dos deputados comemorando a sanção, pela governadora Fátima Bezerra, de um projeto de lei de sua autoria que protege os idosos. “É a realização de uma campanha chamando atenção para golpes financeiros praticados contra pessoas idosas”, explicou Ubaldo. O parlamentar disse que o Rio Grande do Norte tem cerca de 400 mil idosos, que eles têm que ser protegidos, e ressaltou que em muitos casos, os golpes financeiros são praticados por familiares. Ubaldo ainda falou sobre turismo, chamando atenção da Emprotur e da Prefeitura de Extremoz para o ‘estado de abandono’ em que se encontra a praia de Genipabu.

Nenhum comentário