“Estamos praticamente vencendo a pandemia”, diz Bolsonaro


Durante passagem pela Bahia, em uma visita às obras da Ferrovia de Integração Oeste-Leste, em São Desidério, o presidente Jair Bolsonaro afirmou na manhã desta sexta-feira 11 que o Brasil “está praticamente vencendo a pandemia” e que o país foi um dos que menos sofreu com a Covid-19 devido às medidas tomadas pelo governo.
Bolsonaro ainda enumerou as ações. O Ministério da Saúde registrou até esta quinta-feira 9, 129.522 óbitos causados pelo novo coronavírus. Na mesma data, em 24 horas, a pasta registrou 983 mortes.
“Estamos praticamente vencendo a pandemia. O governo fez tudo para que os efeitos negativos da mesma fossem minimizados, quer seja com auxílio emergencial que atingiu 65 milhões de pessoas no Brasil, quer seja com estímulos a pequeno e micro empresas com créditos, investindo também massivamente na questão de meios e recursos para que governadores e prefeitos não faltassem junto a saúde como atender aos possíveis infectados e estamos vendo, já começa a aparecer, em especial nas mídias lá de fora, porque a mídia aqui dentro é difícil aparecer boa notícia, que o Brasil foi um os países que menos sofreu com a pandemia dados as medidas tomadas pelo governo federal”, concluiu.

Obras

Bolsonaro ainda teceu elogios ao ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, que participou da solenidade. O presidente apontou que ele possui grande capacidade para negociar e convencer. “Lá dentro do TCU, Tarcísio conseguiu, com sua maneira peculiar de trabalhar, levando sempre a verdade e os interesses nacionais acima de tudo, também desencravar a malha paulista. Então essa grande obra que está sendo concluída aqui que nos próximos anos será efetivada nos ligando com o resto do Brasil, com a Norte-Sul, bem como lá para o Sul, via malha paulista, entre outros bem demonstra que a capacidade do Tarcísio em negociar, em convencer, é enorme. E essas obras estão aos poucos aparecendo no nosso Brasil”.
O mandatário ressaltou que o governo concluirá obras antigas antes de iniciar novos empreendimentos e que, dessa forma, respeita a verba pública. “Se lá atrás com Juscelino houve investimento massivo nas rodovias porque o petróleo era barato e assim era obviamente bom para aquela época, depois da crise do petróleo mudou, depois dos anos 70. Mas pouca gente pensou em investir em ferrovias. E nós optamos antes de investir massivamente em ferrovias, é terminar as obras já começadas e isso demonstra que temos zelo pelo recurso público e realmente estamos investindo em algo bom para o nosso Brasil”, disse.
Bolsonaro apontou que possui um “grande compromisso com a nação”: “É fazer com que as obras aconteçam com menos recursos ou muitas vezes com criatividade, como diz o Tarcísio. Dessa maneira, temos como dar esperança a nossa população e tirar o Brasil de situação complicada que ainda se encontra”.
Também estiveram presentes no evento o ministros da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, e o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno. Os deputados federais baianos Dr.João (PROS), João Roma (Republicanos) e Zé Rocha (PL) também compareceram.

Bolsonaro sem máscara

Na chegada a Barreiras, de onde depois pegou um helicóptero para São Desidério, Bolsonaro não utilizou máscara e repetiu as cenas de viagens a outros estados. Em meio a aglomeração de apoiadores, Bolsonaro cumprimentou bolsonaristas com apertos de mãos e tirou selfies.

“Perfeita sintonia”

Bolsonaro também afirmou nesta manhã (11/9) que o governo está em “perfeita sintonia” com grande parte do parlamento brasileiro e que tem se aproximando cada vez mais das autoridades do Judiciário.
“Quero agradecer a Deus pela minha vida, a grande parte de vocês presentes que acreditaram em mim por ocasião das eleições. Hoje me faço acompanhar também de três deputados federais da Bahia, o Zé Rocha, João Roma e Dr, João demonstrando que há uma perfeita sintonia entre o Executivo e grande parte do parlamento brasileiro assim como, aos poucos, estamos nos aproximando cada vez mais das autoridades do judiciário”, declarou.
*Com informações do Correio Braziliense

Nenhum comentário