Visita do presidente Bolsonaro ao RN é destaque em debate na Assembleia


Saúde, violência, expectativas para a recuperação econômica pós-pandemia e a visita do presidente Jair Bolsonaro ao Rio Grande do Norte. Estes foram alguns dos assuntos abordados pelos deputados estaduais durante a sessão desta quinta-feira (20) da Assembleia Legislativa do RN, em mais um encontro realizado de forma virtual.

O deputado José Dias (PSDB) solicitou apoio para a implantação de mais um centro cirúrgico em Macaíba, que estaria necessitando apenas de mais R$ 100 mil para se transformar em realidade. O tucano elogiou a inauguração de UTIs em Assu, pelo Governo do Estado, mas cobrou uma ação a favor também do município da Grande Natal.

“Macaíba tem 1,3 mil cirurgias gerais e 3,5 mil procedimentos reprimidos. A diferença para Assu é que, quando abrir, não irá só uma pessoa para ocupar os leitos. Fico feliz com a conquista de Assu para o seu hospital, era absurdo não estar funcionando, meu aplauso. Mas há um pedido pequeno que é o segundo centro cirúrgico de Macaíba”, disse.

Já Vivaldo Costa (PSD) voltou a tratar do coronavírus. O parlamentar ressaltou que, segundo analistas econômicos, a expectativa é que o país possa se recuperar rapidamente após a pandemia. “A economia poderá sair mais forte ainda, porque aqueles que desistirem, que forem a falência, deixaram fatia de mercado. Quem sobreviver a pandemia poderá sair mais fortalecido ainda economicamente. Por isso que acho que a governadora está certa, na hora em que priorizou a vida. Na economia o Brasil poderá sair mais fortalecido”, disse Vivaldo.

Em seguida o deputado coronel Azevedo (PSC) trouxe para o debate a visita do presidente Jair Bolsonaro ao Estado, em agenda confirmada para esta sexta-feira (21). Em seu discurso, o parlamentar enfatizou os recentes números obtidos pelo presidente em torno de sua avaliação. Segundo pesquisa do instituto PoderData divulgada nesta quinta, Bolsonaro chegou a 52% de aprovação. No Nordeste esse índice quase dobrou, atingindo 48%.

Ainda de acordo com Azevedo, enquanto o Governo Federal destina bilhões em recursos para estados e municípios, “no RN percebemos a preguiça de colocar a saúde para funcionar.  A taxa de transmissibilidade se reduz e só agora a governadora vai anunciar leitos em Assu. Finalmente o governo anuncia leitos. É lamentável o governo Fátima na saúde, uma lentidão, parece que há preguiça, incompetência ou má gestão”.

A deputada estadual Isolda Dantas (PT) manifestou sua “revolta” e “indignação” com a confirmação de que um policial militar foi o responsável pela morte do jovem Gabriel, em Natal. “Isso me dá uma dor. Me coloco no lugar da mãe, que tamanha dor. Não dá para imaginar. Gabriel foi executado porque era negro. Temos que ter coragem de afirmar isso. Se fosse jovem branco, bem vestido, não teria sido assassinado. Isso nos revolta. Temos obrigação de nos indignarmos com isso. Quem cometeu isso precisa ser punido severamente”, disse.

A petista aproveitou ainda para rebater as críticas ao Governo do Estado. “Há mais de um mês o RN tem apresentado queda significativa na ocupação de leitos, na escala de transparência somos um dos que mais tem atendido este requisito. Um dos estados que mais tem leitos em relação a população. Não consigo entender como a saúde do RN é desastre se tantas vidas foram salvas. Estratégia de fortalecer rede SUS no interior está correta. O RN acertou na estratégia de combate à Covid-19. É digno e honroso reconhecer o que deu certo”, disse.

Por último, a deputada Eudiane Macedo (Republicanos) criticou a “falha” do Governo do Estado ao não convidar o deputado federal Benes Leocádio para participar da inauguração de leitos de UTI em Assu. Segundo a parlamentar, Benes foi o responsável por destinar mais de R$ 800 mil em emendas para viabilizar os equipamentos e outras melhorias no local.

Nenhum comentário