Natal só deve ter frota completa de ônibus com volta às aulas presenciais, diz STTU em ofício

Parada de ônibus em Natal — Foto: Inter TV Cabugi/Reprodução

Em ofício enviado à Defensoria Pública do Estado, a Secretaria de Mobilidade Urbana de Natal afirmou que o retorno da frota completa do transporte público na capital só deve acontecer após o reinício das aulas presenciais nas escolas, cursinhos e universidades. Ainda não há data definida para a volta das aulas presenciais.

Segundo o documento, a retomada de toda a frota antes da volta às aulas colocaria em risco o “equilíbrio econômico” de transporte coletivo da capital. Ainda de acordo com o ofício, 322 ônibus estão circulando atualmente em Natal. Eles representam 56% do total de 571 veículos que operavam na cidade antes da pandemia.

Além da frota reduzida, algumas linhas estão suspensas segundo informações obtidas pela Defensoria Pública do Estado. São as 01A, 01B, 12-14, 13, 18, 20, 23-69, 30A, 31A, 34, 41B, 44, 48, 57, 65, 66, 81, 587, 588 e 592.

Segundo a pasta, antes da pandemia havia um total de 301 mil acessos diários no transporte coletivo, e durante a pandemia, caiu e passou a oscilar entre 90 mil 120 mil, "levando a crer, que não crescerá aos patamares anteriores". Além disso, cerca de 400 empregados das empresas que operam o sistema foram demitidos.
A secretaria de mobilidade urbana de Natal diz no ofício que vem realizando estudos técnicos avaliando as readequações estruturantes de algumas linhas urbanas, tendo em vista "interferências" do Departamento de Estradas e Rodagens do Estado (DER). A STTU argumenta que o DER vem implantam diversos itinerários das linhas intermunicipais dentro de vias do município de Natal, sem nenhum aviso prévio.

Ação judicial
A Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Norte (DPE/RN) ingressou, na última sexta-feira (21), com uma Ação Civil Pública (ACP) para que o Município de Natal volte a disponibilizar 100% da frota de ônibus nas ruas. Atualmente, apenas 53% da frota se encontra circulando, mesmo com a retomada das atividades econômicas concluída, segundo a Defensoria.

A ação solicita que sejam adotadas todas as medidas necessárias para que as empresas prestadoras de serviços de transporte coletivo urbano façam a retomada de forma imediata.

No último dia 18, o G1 mostrou que os passageiros vinham enfrentando lotação no transporte público na capital potiguar.

G1 RN

Nenhum comentário