Médico mostra “evidência” de que Ivermectina causou queda da covid em Natal

O médico infectologista Fernando Suassuna, que coordena o comitê científico que auxilia a Prefeitura do Natal, avaliou que a capital potiguar está “resolvendo o problema da covid-19” e que há “evidências” de que isso tenha relação com o uso de medicamentos como a Ivermectina de forma preventiva, o que tem sido realizado pela Secretaria de Saúde municipal (SMS).

O médico comentou, em entrevista à Rádio 91.9 FM, nesta sexta-feira (07), sobre a corrida dos natalenses em busca da Ivermetina nas farmácias em meados de junho passado. Ele observa que, coincidentemente, a partir de 1º de julho, quando Natal começou a reabrir gradualmente o comércio, houve uma diminuição nos números de óbitos e de casos confirmados da covid-19.

Segundo o infectologista, há uma estimativa que aponta que aproximadamente 50% da população de Natal tomou o medicamento, e que a queda nos números da covid-19 na capital, bem como no RN, já que o tratamento se espalhou pelo interior, também tem relação com o uso dessa medicação.

“Hoje a gente vê que a doença está caindo, mesmo com a flexibilização. Isso é uma coisa que a gente está observando, não estamos afirmando, mas é uma evidência, porque o isolamento foi diminuindo e não subiu o número de mortes, coincidiu exatamente o contrário”, declarou Fernando Suassuna.

Ele explica que a Ivermectina não é uma “vacina”, mas o medicamento tem uma ação imunomoduladora, que faz com que diminua a inflamação nas pessoas, inclusive as que são dos grupos de risco, fazendo com que essas pessoas tenham “menos vírus” – conforme ele detalha – e de modo que o vírus não se multiplique de forma tão acentuada, diminuindo também seus efeitos no corpo.

“O que nós observamos de primeiro de julho, portanto há mais de um mês, a diminuição no número de casos e a diminuição da letalidade, ou seja, da letalidade, como também a ocupação de leitos de UTI e leitos de enfermaria”, observa Suassuna.

Para ele, esses são fatores que mostram que a pandemia está sendo controlada na capital através do serviço estruturado pela Prefeitura, que possibilita o atendimento precoce aos pacientes que contraíram o coronavírus.

Esses pacientes são atendidos nas unidades básicas de saúde ou nos centros de enfrentamento da covid-19 logo ao aparecimento dos primeiros sintomas. Lá eles recebem orientações, consulta médica e tratamento com medicamentos.

Fonte: Portal Grande Ponto

Nenhum comentário