Deputados cobram celeridade na obra de manutenção da Barragem Passagem das Traíras


Os deputados Nelter Queiroz (MDB), José Dias (PSDB) e Getúlio Rêgo (DEM) criticaram o Governo do Estado durante pronunciamentos na sessão remota da Assembleia Legislativa do RN na manhã desta quarta-feira (26). As falas aconteceram no horário destinado aos parlamentares, que acontece logo após as explanações dos oradores inscritos, propositores e lideranças. O deputado Vivaldo Costa (PSD) também se manifestou e cobrou celeridade na obra de manutenção da parede da Barragem Passagem das Traíras, situada na fronteira dos municípios de São José do Seridó, Jardim do Seridó e Caicó.

“A obra que ficou conhecida pela rapidez de sua construção com o mote de ‘100 anos em 100 dias’, chegou para atender uma necessidade planejada há 100 anos. E Vivaldo, governador por 8 meses, tomou a decisão de construir uma grande represa. Agora, 25 anos depois falam da necessidade de manutenção nas paredes da barragem, assim como toda estrutura precisa de cuidados e reparação. Venho pedir pressa para que o ministro Rogério Marinho mande o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) fazer a restauração da parede”, solicitou.

As dificuldades na abertura de processos referentes ao Programa Moto Legal, a privatização da refinaria Clara Camarão como solução para permanência da Petrobras no Estado e a falta de diálogo da governadora Fátima Bezerra (PT) com o Governo Federal, foram os pontos criticados pelos deputados Nelter Queiroz, José Dias e Getúlio Rêgo, respectivamente.

“Existe a Lei da Moto Legal, mas a pessoa vai requerer e o Detran diz que não está recebendo o processo, alegando a pandemia. Registro com muita tristeza, esse comportamento do governo que não é mais popular. Isso é para arrecadar”, apontou Nelter Queiroz. O programa altera as leis sobre motocicletas com documentação irregular com o objetivo de incentivar a regularização da transferência da propriedade e do licenciamento de motocicletas, motonetas ou ciclomotores de até 155 cilindradas, registradas no Departamento Nacional de Trânsito. Nelter também solicitou que o Governo do Estado pague o correspondente aos 40% de insalubridade devido aos servidores do Hospital Regional de Caicó, Currais Novos e Assu. “Há seis meses que eles não recebem”, disse.

Já o deputado José Dias abordou o que classificou como “problema da refinaria”. Para ele, as críticas feitas na imprensa pela governadora Fátima Bezerra ao presidente Jair Bolsonaro são lamentáveis. “Ao invés de tentar falar com o presidente da Petrobras para saber o que está acontecendo, ela vai para a imprensa acusar o presidente”, apontou.

Para José Dias a privatização é a solução para evitar o fechamento da Petrobras no RN. “Se não tivermos a privatização dessa refinaria, não vai demorar muito para ter o fechamento. Porque ela precisa de reinvestimento. E a Petrobras não tem dinheiro. E não foi Bolsonaro que roubou. Se a privatização tiver sucesso, será a salvação para a refinaria”, completou.

O deputado Getúlio Rêgo criticou a existência de apenas duas Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretrans) no RN. Sendo uma em Natal e outra em Mossoró, restringindo o acesso da população a exames clínicos e psicológicos. “É um absurdo. Falta de respeito com as pessoas que têm que se deslocar para Natal ou Mossoró. Impossível não criticar um governo que anda absolutamente na contramão do interesse coletivo da população. A gestão falha em todos os espectros. Quando se trata de relação com o Governo Federal, a crise se amplia. Um estado pobre como o RN não pode se fechar ao diálogo com a União. Quem paga a conta é a população com a crise administrativa nunca vista na história do nosso Estado”, finalizou.

Nenhum comentário