Presidente da CBF confirma datas de início do Campeonato Brasileiro


Foto: Lucas Figueiredo
O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rogério Caboclo, disse que a Série A do Brasileirão vai começar no dia 9 de agosto mesmo que os clubes tenham que jogar fora de suas cidades durante a pandemia de covid-19.
O dirigente afirmou que 19 dos 20 clubes da Série A aceitaram jogar fora do mando de campo para manter a data íntegra.
“Propusemos aos 20 clubes da Série A que, para podermos lançar a data de 9 de agosto, haveria necessidade de uma aprovação de todas as autoridades sanitárias de nove estados e 11 cidades. E não temos isso hoje. Fiz a proposta no sentido de que admitissem uma reflexão sobre jogar fora do mando de campo para manter essa data íntegra, irretocável, caso todas as cidades não estejam liberadas. Houve votação de 19 a 1 a favor”, afirmou.
“Posso afirmar, a partir da confirmação dos clubes, que sim. Se estão dispostos a jogar onde o futebol estiver autorizado, quero crer que nessa data teremos cidades suficientes para acomodar os jogos, considerando que não teremos torcida presente. Mas em momento algum foi cogitada concentração em uma cidade específica”, continuou.
De acordo com Caboclo, a data precisa ser mantida para que o calendário do futebol brasileiro seja reorganizado até 2022, já que a Copa do Mundo está marcada para novembro. Caboclo ainda afirmou que as Séries B e C do Brasileirão terão início no dia 8 de agosto. Já a Copa do Brasil e a Série A1 do Feminino estão previstas para o dia 26 de agosto.
O dirigente também disse que existe um projeto “robusto” para a segurança de quem vai viajar durante o Brasileirão.
“Pensamos na segurança absoluta dos que viajam. O que nos dá segurança é que um projeto robusto foi feito não só pela CBF, mas por clubes, especialistas que nos deram seus pareceres para que oferecêssemos à apreciação do Ministério da Saúde um protocolo de retorno nacional. Com esse amparo, a CBF fará investimento para cumprir. Falo em trabalhar em vários sentidos para mostrar o quanto o futebol pode favorecer a retomada dessas atividades”, disse.
UOL

Nenhum comentário