Lote com 25 mil caixas de Ivermectina abastece rede de farmácias em Natal


Medicamento que provocou uma verdadeira corrida nas drogarias de Natal, a Ivermectina está começando a chegar com maior regularidade nas prateleiras. Embora ainda não haja estudos científicos efetivos que comprovem a eficácia do medicamento, ele tornou-se quase uma esperança após seu uso ser defendido por alguns médicos infectologistas e por secretarias de Saúde estaduais e municipais, que começaram a recomendar o uso para tratamento da Covid-19.
Em Natal, a rede de Drogaria Santa Fé recebeu nesta segunda-feira (22) um carregamento com 25 mil caixas da Ivermectina, e com previsão de receber um novo lote até quarta-feira (24), com quantidade de caixas ainda não confirmada, segundo o empresário dono da rede, Rubens Guilherme Dantas.
O empresário garante que não vai mais faltar o medicamento na rede espalhada pelas zonas Norte e Leste de Natal, além de Petrópolis e Parnamirim. Devido à falta no mercado, mil caixas de Ivermectina estão durando cerca de 4h para sumir das prateleiras.
“É uma esperança que o pessoal encontrou em um produto com pouca contra-indicação e que está funcionando, apesar de não ter estudos científicos que comprovem sua eficácia. Mas, na prática, todo mundo que toma, quando tem a Covid-19 tem sintomas muito amenos. Se tornou uma esperança pra muita gente”, disse o empresário.
Para manter o medicamento nas prateleiras, Rubens afirma que teve que fazer um grande esforço. A dificuldade começa na indústria, que não está dando conta de tanta demanda. Depois ainda tem os custos, já que a rede teve que pagar do próprio bolso o frete para buscar os medicamentos em Goiânia, o que fez com que a Ivermectina chegasse a Natal com mais velocidade.
“Com isso ficamos como referência na venda aqui no RN, pois conseguimos manter esse estoque de forma mais regular com esse grande esforço que fizemos. Com certeza isso salvou e está salvando muitas vidas”, declarou o empresário.

PREÇOS ABUSIVOS

Nos últimos dias têm reclamado dos altos preços da Ivermectina nas farmácias, que têm cobrado até R$ 70 em uma caixa. Segundo explica Rubens Guilerme, os medicamentos são um dos poucos produtos cujo preço máximo é delimitado para o consumidor. O preço máximo da Ivermectina, por exemplo, varia conforme o laboratório, mas gira entre R$ 27 e R$ 39, dependendo da marca.
“Então qualquer farmácia que vender acima desses valores está passível de uma punição severa. Acima disso está fora da lei”, afirma.



Fonte: Portal Grande Ponto

Nenhum comentário