Com 1,6 mil novos casos da Covid-19, RN ultrapassa os 13 mil infectados


Um total de 1.666 novos casos da Covid-19 foram contabilizados nas últimas 24 horas no Rio Grande do Norte. A informação foi divulgada, nesta quinta-feira (11), pelo secretário adjunto de Saúde, Petrônio Spinelli, durante coletiva de imprensa. Com essas novas confirmações, o número de pessoas infectadas pela doença chega a 13.234 no RN. 
Além disso, o estado já registrou 496 óbitos provocadas pela Covid-19 e outros 90 permanecem em investigação para constatar se a causa tem relação ou não com o novo coronavírus. “Houve um salto significativo no número de confirmações e isso tem a ver com um conjunto de coisas, inclusive com testes que foram feitos fora e chegaram,  a alimentação pelas prefeituras”, explicou Spinelli. Há ainda 22.627 casos suspeitos da doença e outros 22.945 que já foram descartados. 
“Nossa meta é não ter pessoas para ocupar os leitos, não ter pessoas precisando de UTI, não ter pessoas entrando em óbito porque adoeceram. E isso só é possível, de forma sustável, se aumentar o isolamento social. O Pacto pela Vida tem tido excelentes resultados nessa primeira fase, no sentido de ter um diálogo colaborativo e importante entre os prefeitos de todas as regiões. O feriadão foi antecipado, de maneira estratégica, para reforçar o isolamento e proteger vidas. E nós vamos voltar a fazer esse apelo a todos. É o nosso desafio, é o desafio das prefeituras, da sociedade, de todos, para fazer com que tenhamos um enfrentamento melhor da Covid-19 com aquilo que sabemos que é efetivo: o isolamento social”, destacou Spinelli. 
Situação dos leitos no RN
Existe ainda um total de 710 pacientes internados, no Rio Grande do Norte, com suspeita ou confirmação de Covid-19. Desse quantitativo, 354 ocupam leitos críticos. “Esse número é muito significativo. Esse dado, por si só, já fala da necessidade da gente mexer na questão fundamental que é o isolamento social. E proteger, para os próximos dias, as pessoas que vão precisar de leitos de UTI. Porque essa ocupação fica muito próxima da capacidade que temos de leitos e fica cada vez menor a possibilidade de abrir leitos”, disse Spinelli. 
De acordo com os dados divulgados pelo secretário adjunto, Natal e região metropolitana, embora estejam com uma taxa de 98% de ocupação, não é possível dizer que ainda há vagas: “Com a fila de espera [de pacientes] que nós temos, particularmente nas UPAs, significa que não temos leitos disponíveis, porque estes já estão destinados e com certeza regulados”, destacou. Na região Oeste, nas proximidades de Mossoró, a taxa de ocupação está em 93,3%. “Ontem abrimos mais cinco leitos de UTI nessa região e eles foram, rapidamente, ocupados”, disse. 
Em Pau dos Ferros, onde a maior parte dos pacientes internados são de outra região, a ocupação atingiu 100%. No Seridó, em que ocorre a mesma dinâmica de transferências, a taxa está em 59,3%. “Vale salientar que essa [Seridó] é a única região que tem vaga real, já que nas outras, mesmo aparecendo vagas, já tem pessoas reguladas para preencher. Então há a necessidade de deslocamento de região para região e nós temos feito isso, mas existe a dificuldade do transporte também”, comentou Petrônio Spinelli. 

Nenhum comentário