Tudo que você precisa saber sobre fundos de investimento



Fundos de investimentos são meios para que as pessoas participem de projetos de grande porte sem necessariamente se tornarem donos deles.
Sempre que se fala em fundo de investimento é necessário compreender o diferencial em relação ao mercado de ações: se ao investir em ações a pessoa se torna proprietária de parte daquele empreendimento, na lógica dos fundos de investimentos, o dinheiro aplicado serve para que ela se torne cotista de um fundo.

O que é ser cotista?

A cota é uma parte do empreendimento que é disponibilizada por seu proprietário. Neste caso, ele não deixa de ser o dono daquela quantia do projeto, mas permite que outras pessoas participem e até lucrem com os resultados apresentados.
Cedendo essa parte para um conjunto de pessoas, torna-se possível investir mais recursos e movimentar valores maiores.
Dentro desse sistema, o cotista tem acesso a uma série de projetos dos quais poderia não ter como fazer parte investindo somente o seu dinheiro.
Fundos de investimento podem reunir capital de uma série de investidores e compartilhar os  lucros, movimentando mercados de porte significativo.
Em resumo, ser cotista de fundo é ter como fazer parte de grandes projetos investindo de acordo com suas possibilidades.

As vantagens de ser cotista de fundos

De maneira geral, ao investir em um fundo de investimento, a pessoa se junta a outros investidores que colocam dinheiro nos projetos.
Como a responsabilidade pelo fundo cabe aos proprietários, não são os investidores quem vão atrás das ofertas disponíveis no mercado para fazer o fundo trazer resultados.
Esse costuma ser o papel do gestor, um profissional cuidadosamente contratado para administrar o fundo e atingir as metas.
Cabe a ele avaliar tudo o que diz respeito aos negócios envolvendo o fundo, tomando as decisões mais acertadas para o benefício de todos os participantes, comprando ou vendendo os ativos.
Por esse motivo, investir em fundos costuma ser mais seguro do que investir no mercado acionário e mais rentável do que investir em renda fixa, o que representa uma boa oportunidade para o investidor de perfil moderado.
Em resumo, ao investir em fundos de investimentos, a pessoa transfere a responsabilidade pela escolha dos ativos, sua negociação, entre outras ações, para um gestor qualificado.

Os tipos de fundos de investimentos

Existem diferentes possibilidades para quem pretende colocar dinheiro em fundos. Entre as mais conhecidas estão os fundos de renda fixa, os fundos de renda variável e os fundos multimercado.
Os fundos de renda fixa, basicamente, reúnem títulos como o Tesouro Direto, CDB’s, entre outros, permitindo ao investidor, acesso a soluções mais rentáveis do que a média desse mercado sem deixar de lado a segurança.
Já os fundos de renda variável são mais voltados para perfis tidos como arrojados, pois apresentam maior risco e podem gerar uma rentabilidade superior. São feitos investimentos em ativos como diferentes tipos de ações, cotas de fundos de índices, entre outros.
Os fundos multimercado, por sua vez, são aqueles que mesclam ativos de renda fixa e variável, permitindo uma maior diversificação para seus participantes.
Além desses, existe uma série de outros fundos de investimento, como os fundos cambiais, associados a moedas estrangeiras e os fundos multigestores, que direcionam o dinheiro para cotas de outros fundos.

Fundos de Investimentos Imobiliários

Os fundos imobiliários representam uma categoria diferente de fundos de investimentos, embora funcionem sob a mesma lógica de gestão e cotas. Os chamados FII’s são mais acessíveis, pois podem ser adquiridos via Home Broker, assim como as ações.
Sendo renda variável, apresentam riscos maiores em relação aos fundos de renda fixa, além de rentabilidade geralmente superior. O diferencial é que podem investir em fundos de tijolo, ou seja, diretamente em imóveis, mas também em fundos de papéis, que nada mais são do que investimentos relacionados ao mercado imobiliário.
Dessa forma, com uma boa gestão, o fundo pode trazer resultados interessantes em especial para o investidor que deseja migrar da renda fixa para a variável.
Costuma ser uma solução interessante para quem procura participar de projetos imobiliários de grande porte como shoppings e centros de logística, mas ainda não reúne os recursos necessários para comprar ações de grandes empresas.
De uma maneira geral, os diferentes fundos de investimentos têm funcionado como meio intermediário entre a segurança da renda fixa e a rentabilidade da renda variável.


Nenhum comentário