Em 2020, influeza já matou 39 pessoas no Brasil



Além do coronavírus, a vigilância deve permanecer para outros vírus que circulam ao mesmo tempo no Brasil. A Influenza A (H1N1), e (H3N2) e Influenza B ainda matam apesar de haver a vacina contra elas. 
Por isso, o Ministério da Saúde tem reforçado a vigilância da Síndrome Gripal (SG) e das Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAG) e vem intensificando as ações para o combate. Neste ano, a vacinação foi antecipada e houve uma inversão dos grupos prioritários com a antecipação da fase dos idosos para o primeiro grupo a ser vacinado. 
A preocupação tem uma razão de ser, somente neste ano foram registrados 204 casos e 19 óbitos por influenza A (H1N1), 181 casos e 17 óbitos por Influenza B e 21 casos e 3 óbitos por Influenza A (H3N2). Totalizando 406 e seis casos e 39 óbitos.  No ano passado, o país registrou 5.800 casos e 1.122 óbitos pelos três tipos de influenza.
Neste ano, São Paulo tem se destacado com a maior concentração  dos casos de Influenza A (H1N1) com 50 casos e 4 óbitos. Em seguida, vem a Bahia (49 casos e 3 óbitos) e o Paraná (21 casos e 5 óbitos). No Rio Grande do Norte, a Secretaria de Estado de Saúde pública (Sesap) Informou que  a equipe está trabalhando no banco de dados e que boletim será divulgado assim que estiver pronto, a previsão é que  seja ainda em abril.

Nenhum comentário