UFRN adquire kits e começa a testagem para Covid-19


 
José de Paiva Rebouças - Agecom
Foto: Anastácia Vaz
 
A UFRN começou a realizar nessa quarta-feira, 25, testes para detecção do Covid-19 em pacientes do estado. Foram adquiridos kits para realização de três mil exames com recursos próprios da instituição e do seu Instituto de Medicina Tropical (IMT). Seguindo o protocolo do Ministério da Saúde (MS), todas as amostras estão sendo coletadas pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Lacen/RN) e, em seguida, testadas no IMT e no Departamento de Análises Clínicas e Toxicológicas (DACT). Desde a semana passada, o DACT já estava atuando na identificação de arboviroses e outras infecções respiratórias para reduzir a demanda do Lacen, que precisa concentrar sua força de trabalho nos exames de detecção do novo vírus. 
De acordo com o chefe do DACT, Andre Ducati Luchessi, a força-tarefa com a realização de testes também na UFRN permite que a capacidade do Lacen possa ser aumentada. “Os três laboratórios estão processando três vezes o que o Lacen conseguiria processar em um único dia. Isso vai gerar um dinamismo muito grande”, conta. Para ele, a partir do momento que a UFRN chega com essa força-tarefa, ao lado do Governo do Estado, por meio do Lacen, consegue auxiliar no que diz respeito a dar agilidade à situação. Ao demonstrar com rapidez os casos positivos e negativos, com números que se aproximam mais da realidade, os gestores têm mais condições de tomar as decisões, inclusive sobre a quarentena. 
A diretora do IMT, médica Selma Jerônimo, chama atenção para a importância do esforço para acelerar o diagnóstico. Um paciente sem confirmação do novo coronavírus acaba ocupando leito no isolamento e ficando exposto ao risco de ser contaminado por quem realmente tem o vírus. “Esses testes são determinantes porque ajudam a distinguir os casos positivos de Covid-19. Com isso, temos condições de direcionar as pessoas acometidas para o tratamento adequado”, afirma Selma Jerônimo. 
Francisco Paulo Freire Neto, farmacêutico bioquímico do IMT, lembra que o IMT também disponibilizou uma linha de teleatendimento para orientação das pessoas com sintomas respiratórios ou suspeita de Covid-19. O serviço está disponível das 8h às 18h, de segunda a sexta-feira, por meio do telefone (84) 3342-2300. “O IMT foi pensado para responder a essas emergências e tem mostrado que, quando há uma necessidade, está pronto para atuar com apoio da comunidade universitária, que tem conhecimento para atuar com qualidade”, finalizou.

Nenhum comentário