Potiguares retidos no Peru por causa do coronavírus conseguem voltar ao Brasil: 'Alívio'



Um grupo com cinco potiguares que estava retido na cidade de Cusco, no Peru, por causa da quarentena contra o novo coronavírus - o Covid-19 - conseguiu chegar ao Brasil nesta terça-feira (24). Eles desembarcaram em Guarulhos, São Paulo, e pegaram um voo com destino a Natal na manhã desta quarta-feira (25). Outros nove potiguares, entre eles idosos, tinham voltado no sábado (21).

Maria Viviani Nobre, de 53 anos conta que o grupo composto por ela, seu marido, um cunhado e um outro casal, conseguiu pegar um voo da Latam. Saíram de Cusco com parada técnica em Iquique (Chile), até que chegarem a Guarulhos.

Até o último sábado (21) havia um grupo de pelo menos 14 potiguares retidos em Cusco, desde que houve um fechamento das fronteiras no país. Os aviões brasileiros que chegavam ao Peru, pousavam apenas na capital Lima, mais de mil quilômetros distante, e eles eram proibidos de deixar o país de carro, ou ônibus, até atravessar a fronteira.

No sábado, aviões chegaram ao país para resgatar os brasileiros, mas não foram suficientes. Do grupo que estava com Viviani, um total de 12 pessoas, todas da mesma família, apenas nove conseguiram embarcar. Ficaram ela, o marido e um cunhado. O outro casal de potiguares que ficou foi a bióloga Marjorie de Andrade e o marido dela, que não são da família de Viviani.

"Foram dias de angústia, sensação de abandono, luta, divulgação, acionamento aos órgãos do Governo, ajuda dos políticos do Governo Federal, Embaixada Brasileira em Lima e muitas orações", lembra Viviani.

Sobre a chegada, ela considera que a sensação é de alívio. "Alívio, gratidão, segurança de chegar em casa e cumprir a quarentena junto da família", conclui.

Ainda há outros brasileiros no Peru, segundo Viviani. Eles aguardam voos da Força Aérea Brasileira (FAB) que deverão ir ao país para fazer o resgate.

Nenhum comentário