Servidores da ALRN discutem implantação do sistema Legis RH em São Paulo


 
Vencedor do prêmio Assembleia Cidadã, conferido pela União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (UNALE) no final de 2019, o sistema Legis RH da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte se tornou referência nacional e a plataforma despertou o interesse da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP). A transferência de tecnologia vem sendo discutida essa semana na capital paulista, onde servidores da Diretoria de Gestão Tecnológica e de Gestão de Pessoas da ALRN se encontram para uma série de visitas e reuniões com dirigentes da ALESP.

“Os representantes do Legislativo Paulista têm interesse em implantar o nosso sistema Legis RH. Ao longo dessa semana, aqui em São Paulo, teremos uma conversa com o secretário geral e, provavelmente, com o presidente da Casa, deputado Cauê Macris. A ideia é alinharmos o diálogo visando a posterior elaboração e assinatura de um Termo de Cooperação Técnica entre ambos os parlamentos”, revela Mário Sérgio Gurgel, diretor de Gestão Tecnológica da Assembleia do RN. O servidor ressalta que, caso a cooperação entre as Casas seja efetivada, a implantação da plataforma na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo deve levar de 4 a 6 meses.

Em dezembro de 2019, técnicos em informática da ALESP estiveram na sede do Legislativo potiguar com o objetivo de conhecer os programas desenvolvidos pela Diretoria de Gestão Tecnológica. As Casas Legislativas da Bahia, Rio de Janeiro, Pernambuco e Mato Grosso também têm demonstrado interesse em conhecer o sistema desenvolvido pelos servidores legislativos norte-rio-grandenses.

O coordenador de Gestão de Pessoas da ALRN, Thyago Cortez, integra a equipe de servidores que estão em São Paulo para visitas e reuniões junto a representantes do Legislativo paulista.

Legis RH

O sistema é utilizado pelo setor de Recursos Humanos e Folha de Pagamento do Legislativo potiguar e foi desenvolvido pela equipe técnica da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte. A implantação da plataforma própria possibilitou à Casa uma economia de mais de 75% com a redução de gastos em sistemas terceirizados, permitindo o investimento em insumos e infraestrutura.

Nenhum comentário