Classe artística do RN ganha edital de R$ 1 milhão e linha de crédito



O Governo do Rio Grande do Norte anunciou, por meio da Fundação José Augusto (FJA)  o edital Cidadania Cultural, que disponibilizará R$ 1 milhão para projetos na área cultural. Além disso, a Agência de Fomento do RN (AGN) abriu a linha de crédito Pró-cultura, que concederá empréstimos de até R$ 10 mil para profissionais da área artística.
Na primeira edição serão contemplados os segmentos de Música, Teatro, Circo, Artes Visuais, Audiovisual e Rádios Comunitárias, sendo 50% do valor destinado para a região metropolitana de Natal e 50% ao interior do estado.
A governadora Fátima Bezerra também anunciou a criação do Grupo de Trabalho (GT) para elaboração do Plano Estadual de Promoção da Igualdade Racial, a ser conduzido pela Secretaria de Estado das Mulheres, da Juventude, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos (SEMJIDH). O GT é composto por 14 representantes do governo e outros 14 indicados pela sociedade civil. Neste caso específico, o grupo é composto por representantes de comunidades remanescentes indígenas, quilombolas, ciganos e povos de terreiro.
O anúncio foi feito ontem (26) em cerimônia no Teatro Lauro Monte Filho, em Mossoró. Fátima fez questão de destacar que esse momento vai de encontro à política nacional, no qual as portas para educação, cultura e diversidade estão se fechando. “O que mais me anima e renova a minha esperança é a marca que estamos construindo. O diálogo. Da mesma forma que dialogamos com os trabalhadores, dialogamos com a classe empresarial, dialogamos com as pessoas de todas as raças e credos. Precisamos avançar o legado que conseguimos construir”, pontuou.
Uma das grandes novidades da noite foi a inclusão do circo e das rádios comunitárias no edital de cultura. O presidente da Fundação José Augusto, Crispiniano Neto, explicou que o teatro, a música, o circo, as artes visuais, o audiovisual e as rádios comunitárias estão sendo contemplados neste edital, mas outras expressões artísticas serão contempladas no próximo. “Nossa governadora sempre foi uma pessoa ligada à cultura, desde quando foi deputada estadual e criou a Lei Câmara Cascudo”, relembrou.
Para a diretora presidente da AGN, Márcia Maia, abraçar a cultura não significa apenas gostar ou simplesmente aplaudir, mas também apostar e investir na cultura. “Apoiar aqueles que vivem da cultura. Ampliar os investimentos para que os que sobrevivem da cultura possam se fortalecer”, afirmou. Ela lembrou que o Pró-cultura oferece bônus para a adimplência, além de descentralizar o atendimento através de escritórios do empreendedor e postos nas centrais do cidadão.

Nenhum comentário