Mourão critica “ecorradicalismo incensado pela imprensa” e fala que oferta de ajuda a Amazônia é “filantropia de fachada”


Vice-Presidente da República, Hamilton Mourão, durante a Marcha da Saudade 2019, do Centro de Instrução de Guerra na Selva (30/05/2019). Foto: Adnilton Farias/VPR
O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, denunciou uma “campanha internacional movida contra o Brasil” por causa das queimadas na Floresta Amazônica.
Em artigo publicado nessa quarta-feira, 28 de agosto, no jornal Estadão, Mourão disse que a oferta do G7 para ajudar a Amazônia é uma “filantropia de fachada”:
“Cabe apontar o que se revela nas declarações oficiais, nas confidências mal escondidas, nas entrelinhas dos comunicados e no ecorradicalismo incensado pela imprensa: a velha ambição disfarçada por filantropia de fachada.”
Mourão acrescentou:
“Acusações de maus-tratos a indígenas, uso indevido do solo, desflorestamento descontrolado e inação governamental perante queimadas sazonais compõem o leque da infâmia despejada sobre o país, a que se juntou a nota diplomática do governo francês ofensiva ao presidente da República e aos brasileiros.”
O vice-presidente avaliou que “a História dá razão ao Brasil em qualquer debate sobre a Amazônia”:
“Não há país que combine legislação ambiental, produtividade agropecuária, segurança alimentar e preservação dos biomas com mais eficiência, eficácia e efetividade do que o Brasil.”
Com informações de Estadão e UOL

Nenhum comentário