Sarau Quinta das Artes chega a São Gonçalo do Amarante



Após as primeiras etapas em Natal e Canguaretama, respectivamente, o projeto Sarau Quinta das Artes chega na próxima quinta-feira (25) ao município de São Gonçalo do Amarante. O evento multicultural ocorrerá no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte - IFRN, situado à rua Prof. Carlos Guedes Alcoforado, s/n, no centro da cidade, no período de 14h às 17h.
A programação contará com a exposição “Raízes Ancestrais”, do artista plástico Weid Sousa; a projeção do curta-metragem “Catarro”, de Paulo Dumaresq; monólogo “Ventre de Ostra”, pela atriz Luana Vencerlau; debate literário com os escritores João Andrade, autor da obra “Livro de Palavra”, e Leocy Saraiva, autora de “Versos Temporais”; solo “Fragmentação”, da bailarina Rozeane Oliveira, além do pocket show “Violas e Veredas”, com o menestrel Caio Padilha.
O projeto destaca várias linguagens artísticas e valoriza os artistas do Estado. Artes plásticas, audiovisual, dança, literatura, teatro e música promoverão no ambiente das instituições públicas de ensino, notadamente nos IFRNs das cidades contempladas, encontros de pessoas (professores, estudantes e comunidade em geral), que desejam dialogar, conhecer e compartilhar as diversas manifestações artísticas apresentadas. De caráter itinerante, o Sarau Quinta das Artes circulará, ainda, pelos municípios de Santa Cruz (08.08), Currais Novos (22.08) e Mossoró (12.09). O acesso é gratuito.
“Por onde passa, o Sarau desperta no estudante o interesse pela cultura. Para nós tem sido gratificante levar o melhor das artes produzidas no Estado para o conhecimento dos jovens que não residem na capital. O nosso intuito é fortalecer a identidade local e produzir um sentimento de pertencimento e um desenvolvimento da consciência crítica, por meio das artes”, observa a idealizadora do projeto, Carla Alves. As seis etapas do Quinta das Artes serão sediadas nos Institutos Federais das cidades contempladas pelo projeto, e envolverão alunos da rede pública estadual, afora a comunidade estudantil dos IFRNs.
Para o produtor cultural e parceiro do Quinta das Artes, Aluizio Matias, o projeto parte do pressuposto de que conhecer a arte que é praticada na nossa sociedade, ou grupo cultural a que pertencemos, é fundamental para construirmos e valorizarmos a nossa própria identidade: “Essa é a missão do Quinta das Artes. Queremos com o projeto engrandecer a cultura do Rio Grande do Norte, mostrar o artista e o trabalho autoral, além de aproximar e fazer íntima dos potiguares a cultura de sua terra natal”.
O Projeto Sarau Quinta das Artes foi habilitado pela Lei Câmara Cascudo, do Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio da Fundação José Augusto (FJA), com o patrocínio da Cosern/Grupo Neoenergia. Conta, ainda, com a parceria do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) e da Associação das Escolas Federais Industriais e Técnicas do Rio Grande do Norte (Assefit/RN), e o apoio da Servgráfica.
Artistas e obras
Weid Sousa (Artes Plásticas) – Weid Sousa nasceu em Natal e atualmente mora no Pium. É poeta, pintor, ator e pedagogo. Tem três livros de poesia publicados. São eles: “Circo de Poesias” (2008), com 2ª edição em 2018; “Um Rosário de Orações Devocionais” (2013) e “O Amor Secreto” (2016). No Sarau Quinta das Artes, Weid apresenta um trabalho de pintura e desenho, intitulado “Raízes Ancestrais”, no qual utiliza técnicas que aprendeu no seu percurso artístico e pedagógico. Traz a aquarela e a cera em lápis de madeira sobre papel, contornada e acabada com o nanquim. Usou de suas memórias afetivas na busca pela espiritualidade para compor a exposição, indo nas raízes religiosas/espirituais do nosso país. Os orixás representam as raízes africanas, Jesus e Maria, a representatividade católica europeia, e a indígena, como genuinamente brasileira e, para finalizar, traz um elemento de sua mais recente vivência espiritual, o hinduísmo, nas figuras de Radha e Krshna.
Paulo Dumaresq (Audiovisual) – O jornalista, dramaturgo e realizador audiovisual Paulo Dumaresq nasceu no Rio de Janeiro. Com apenas três meses de vida, veio para Natal com a família. Após experiências no jornalismo, Dumaresq descobre a literatura e inicia a escrita das primeiras peças teatrais. O reconhecimento à militância no teatro vem em forma de convite para dirigir o auto “Jesus de Natal”, no ano de 2005. Em 2014, Dumaresq roteiriza e dirige o curta-metragem “Incontinências”. No ano de 2016, dirige com Alex Régis o longa documental “Passo da Pátria – Porto de Destinos”. Segue-se o curta “Athayde”, produzido em 2017. Em 2018, roteiriza e dirige o curta documental “Catarro”. Neste 2019, lança o curta documental “Cidadãos Invisíveis”, o segundo filme da Trilogia da Invisibilidade. Em São Gonçalo do Amarante, Paulo Dumaresq apresenta “Catarro”, curta que acompanha um dia na vida de Edvaldo Correia da Silva, cognome Catarro, cidadão em situação de rua, andarilho urbano, artista plástico e vendedor de livros informal no Centro Histórico de Natal.
Luana Vencerlau (Teatro) - Atriz paraibana radicada em Natal, Luana Vencerlau iniciou no teatro ainda na Paraíba. Na capital potiguar, continuou seu trabalho em grupos sediados no saudoso Teatro Municipal Sandoval Wanderley, ganhando o prêmio de melhor atriz no primeiro festival de artes cênicas. Os mais recentes trabalhos foram “Os Gigantes da Montanha”, direção de Francesca Persico (espetáculo realizado no período de residência na Itália); “Dom Casmurro”, pela Companhia Monicreques; “Os Perigos de Vitória” e “A Estrada ou Milagre da Fé” – espetáculo do Natal Em Cena (2014), com direção de Henrique Fontes; “A Barca de Caronte” (2015), direção de Diana Fontes; monólogo “Ventre de Ostra”, escrito e dirigido por Júnior Dalberto (2016); e “Um Presente de Natal” (2017), direção de Diana Fontes. No Sarau Quinta das Artes, Luana Vencerlau apresentará o monólogo “Ventre de Ostra”.
João Andrade (Literatura) – João Andrade é pai de Joãozinho. Além de aperrear a humanidade, ele é considerado pelos incautos como poeta, contista, artista plástico e professor. Como poeta, ganhou alguns prêmios literários por aí e já participou de dezenas de antologias em diversos Estados do país. Colabora com jornais alternativos e sites literários em Estados brasileiros e em Portugal. Publicou os livros de poemas “Por Sobre as Cabeças” (2005), “Cantigas de Mal Dizer” (2010), “Livro de Palavra” (2013) e “Contos de Escuridão e Rutilância” (2017). Como artista plástico, faz a capa e ilustra seus próprios livros. Participou de algumas exposições coletivas, entre elas “Da Escuridão à Rutilância” e “Arteluz”. Teve uma de suas obras expostas nas ruas de Natal durante a copa de 2014. No Sarau Quinta das Artes, João Andrade discorre sobre a obra “Livro de Palavra”.
Leocy Saraiva (Literatura) – Leocy Saraiva é assistente social e licenciada em Letras (português), pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. É também professora da rede pública de ensino do Estado da Paraíba. Publicou os livros “Cantos e Espantos”, em 2010, e “Versos Temporais”, em 2016, além de vários trabalhos em parceria com poetas do Rio Grande do Norte e de vários outros Estados brasileiros. Participou do coletivo poético DiRocha, levando poesia às ruas de Natal; e de projetos de fomento à leitura, como a “Caravana de Escritores Potiguares” e o “Poetas na Escola”. Publica seus trabalhos poéticos e estudos sobre literatura em blogs e revistas científicas. Atualmente faz de seu trabalho de promoção da leitura literária um ato de militância, acreditando que cada gesto da arte pode contribuir para que o mundo se torne mais sensível e humano. No bate-papo literário, Leocy Saraiva fala sobre seu livro “Versos Temporais”.
Rozeane Oliveira (Dança) – Bailarina e pesquisadora em dança, Rozeane Oliveira é uma das idealizadoras do Coletivo CIDA, e faz parte do sarau Insurgências Poéticas.  Desenvolve atividades artísticas há mais de 18 anos em Natal, entre elas, oficinas, espetáculos teatrais, preparação corporal e criação em dança contemporânea. Entre os anos de 2008 e 2016 fez parte do corpo artístico da companhia Gira Dança, atuando como pesquisadora e intérprete criadora. Já esteve presente em diversos festivais pelo Brasil e exterior. Ressaltam-se suas participações no Festival Ano Brasil, em Lisboa, Portugal, e no Festival Move Berlim, na Alemanha. Nesse período apresentou espetáculos e ministrou oficinas junto à companhia Gira Dança. Em 2015, circulou pelo projeto SESC Palco Giratório em 45 cidades do país, com o espetáculo “Proibido Elefantes”.  No Quinta das Artes, dançará o solo “Fragmentação”, espetáculo que consiste numa criação em tempo real por meio da técnica da improvisação, tendo como referência os estímulos sonoros da música produzida no Rio Grande do Norte.
Caio Padilha (Música) - Caio Padilha é ator e músico compositor reconhecido pelo Prêmio Grão da Música Brasileira 2018. Pesquisador da Cultura Popular, ele tem discos lançados dedicados à viola caipira e à rabeca, premiados pelo Culturas Populares Funarte 2012 e 2017. Circulou pelo SESC Palco Giratório 2015 e 2019, na condição de ator e diretor musical. Como os menestréis da cultura nordestina, Caio Padilha traz em suas “Violas e Veredas” a contação de histórias e a cultura popular centrada nos temas da fauna nordestina, que se encontram com a música de rabeca, instrumento lúdico que celebra os elementos da natureza. Em suas apresentações, o cantor homenageia os grandes mestres da música nordestina, como Luiz Gonzaga, Elino Julião e Antônio Nóbrega, entre outros. No repertório de “Violas e Veredas”, Caio volta a homenagear também a obra de seu pai Almir Padilha.
Serviço:
Projeto Sarau Quinta das Artes.
Local: Auditório do IFRN – Campus São Gonçalo do Amarante. Rua Prof. Carlos Guedes Alcoforado, s/n, centro.
Data: 25 de julho de 2019.
Hora: 14h.
Acesso gratuito.

Nenhum comentário